ELEIÇÕES

ELIZIANE GAMA: Sai na frente e chega por último

Em 2016 ela liderou todas as pesquisas, mas as urnas mostraram o contrário

Quem cresce na vida com mentiras, desaba sem para-quedas. Foi assim que aconteceu com a deputada federal Eliziane Gama (PPS), que caiu no descrédito ao falar uma coisa e não confirmar, criticar um adversário e depois pedir apoio, como foi o caso de Castelo em 2012, que o chamou de “Caostelo” e 4 anos depois Eliziane foi pedir clemência.

Em 2016 a deputada federal fez a mesma coisa com o prefeito Edivaldo Holanda Júnior, quando disputou a Prefeitura de São Luís. Dois anos depois em busca de apoio para galgar a cadeira de Senadora, Eliziane rasgou elogios naquele que ela o chamou de “Edivala”, durante a campanha de 2016. VEJA AQUI OS ELOGIOS DA DEPUTADA. Mas veja também AQUI as críticas de Eliziane Gama a Edivaldo e Castelo. Em um determinado momento a deputada falou: “Francamente eu acho que não há muita diferença”, diz Eliziane Gama sobre as candidaturas de João Castelo (PSDB) e Edivaldo Holanda Júnior (PDT), em entrevista na TV Guará.

O certo é que Eliziane perdeu a confiança e principalmente a credibilidade da população que lhe deu mais de 70 mil votos em 2012, e 133.575 votos para deputada federal em 2014, crescendo mais de 45% na graça da população maranhense. Mas a validade de sua força durou apenas mais dois anos. Em 2016 a deputada federal era cotada para ser a prefeita de São Luís, mas os encantos começaram ao Eliziane anunciar o apoio de Castelo, aquele mesmo que em 2012 era Caostelo.

Na pré-campanha e na campanha Eliziane Gama liderava todos os cenários de pesquisa, mas nas urnas veio uma resposta já esperada pelos analistas políticos, uma votação pífia, como 32.500 votos, 55% menos que em 2012, quando se tornou uma sensação da política. De acordo com os analistas políticos do Maranhão, tudo que Eliziane falou dos adversários acabou virando contra se mesma.

Este ano Eliziane fez a mesma coisa, cometeu os mesmos erros e trilha na mesma tática ao andar com o prefeito Edivaldo Holanda Júnior, visitar obras e elogiá-lo em entrevistas, simplesmente para galgar apoio do prefeito e buscar uma vaga no Senado. Com toda esse teatro político, resta um caminho para a atual deputada, colecionar mais uma derrota nas urnas ou esperar 2020 para retornar a política como vereadora de São Luís, isso se não for mais uma tentativa frustrada.

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close