POLÍTICA

Tiros de Roberto Jefferson erram Polícia Federal e atinge em cheio Bolsonaro

QG de Bolsonaro tenta conter danos causados por Roberto Jefferson ao atirar em Policiais Federais

Aliados do presidente e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL), agiram imediatamente depois de o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB) atirar contra policiais federais neste domingo (23.out.2022). O entorno de Bolsonaro temeu o impacto negativo da ação armada do político para a campanha à reeleição do chefe do Executivo e logo apoiou a publicação de nota oficial nas contas oficiais do presidente.

Bolsonaro, então, foi a público repudiar as ações do ex-deputado contra a ministra Carmén Lúcia, do STF (Supremo Tribunal Federal). O presidente afirmou ter designado o ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, para acompanhar o caso..

O comitê de campanha de Bolsonaro se mobilizou assim que o texto foi publicado. Ministros e aliados divulgaram a mensagem em grupos e páginas oficiais poucos minutos depois. A mensagem também foi enviada pelo grupo oficial da Secretaria de Comunicação com jornalistas no WhatsApp.

A rápida resposta se deu por causa de um principal fator: o QG quis evitar o racha da base aliada em estratégias diferentes.

Depois de Jefferson abrir fogo contra agentes da PF, usuários do Twitter já defendiam opiniões diferentes sobre o episódio. Havia quem, por exemplo, apoiasse o ex-deputado. Bolsonaro precisaria vir a público condenar a ação para conter os danos e unificar o discurso. E isso foi feito.

Leia mais clicando AQUI… (Poder 360)

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo