POLÍCIA

Em depoimento à polícia, vereador Beto Castro teria confirmado presença de Daniel Brandão na cena do crime que vitimou João Bosco

A informação foi divulgada com exclusividade pelo jornalista Jeisael Marx em seu Blogue nesta segunda-feira (19)

O caso sobre a morte do empresário e assessor do vereador Beto Castro, João Bosco, morto em 19 de agosto por Guibson Cutrim, matador confesso, no bairro Ponta do Farol em São Luís, pode ter uma reviravolta após depoimento da viúva de Bosco e agora do vereador Beto Castro, que voltou a ser interrogado pela Polícia Civil do Maranhão.

Nesta segunda-feira (19), exatamente um mês após o assassinato do empresário João Bosco, o jornalista Jeisael Marx, divulgou com exclusividade em seu Blogue, trechos do depoimento do vereador Beto Castro, que confirma a presença do secretário de estado Daniel Itapary Brandão, sobrinho do governador Carlos Brandão, na mesa onde se reuniram para tratar de possível cobrança de propina de 50% sobre um pagamento feito pela Secretaria de Estado da Educação (SEDUC) a uma empresa de vigilância.

A revelação da possível cobrança de propina teria sido feita pelo autor do assassinato, Gilbson Cutrim, em depoimento no último dia 29 de agosto, quando se entregou à polícia. Já a presença de Daniel Brandão foi revelada pela primeira vez ainda no dia do crime, 19 de agosto, por Eliza Maria, viúva de Bosco, que citou apenas ter visto nas imagens de câmeras de segurança um “rapaz careca” que teria chegado junto com o vereador Beto Castro e o empresário, executado. Veja abaixo depoimento de Eliza Maria.

De acordo com a matéria do jornalista Jeisael Marx, no dia seguinte, 20 de agosto, Beto Castro teria comparecido à presença do delegado Murilo Tavares e teria citado o nome de Daniel duas vezes no depoimento, sem, no entanto, dizer o sobrenome.

Beto teria contado ao delegado, entre outras coisas, que, naquele dia, convidou João Bosco para ir ao edifício Tech Office, onde teria um encontro com um assessor de um ex-secretário do governo Flávio Dino, candidato a deputado estadual pelo PP. Conta ainda que esse encontro com o assessor do ex-secretário de Dino, só não aconteceu em razão do desfecho da reunião que teve com os envolvidos no assassinato.

Beto Castro teria contado ao delegado que junto com Bosco se encontrou com um amigo chamado Daniel por volta das 16h e foram à lanchonete Tapioca da Ilha, onde sentaram todos juntos na mesma mesa para, segundo ele, falar de política. E que, pouco tempo depois, apareceu o Gilbson Cutrim, chamado por ele de “Júnior”.

O vereador teria dito que Gilbson sentou junto com eles e que, algum tempo depois, começou uma discussão muito agressiva entre Bosco e Gilbson por causa da dívida existente. Beto falou em depoimento que Daniel percebeu que o clima havia ficado tenso, então se levantou, cumprimentou o vereador e foi embora. Veja abaixo parte do depoimento:

Apesar de não condizer exatamente com a dinâmica que mostram as imagens, o depoimento de Beto Castro estaria confirmando duas questões importantes: a presença incontestável de Daniel Brandão; e a cobrança de uma possível propina citada por Gilbson.

O Blogue do Jeisael entrou em contato, hoje, com o Governo do Maranhão e com o secretário Daniel Itapary Brandão, mas não obtive resposta. Também teria tentado contato com o ex-secretário de Flávio Dino, citado em depoimento, mas, sem sucesso.

Até o momento, o silêncio impera entre todos os envolvidos e citados. Inclusive a própria Polícia Civil não fala mais nada sobre o caso.

O caso permanece sob investigação de um consórcio de imprensa, do qual o blogue do Jeisael.com faz parte, e que vem revelando fatos que estavam escondidos relacionados ao assassinato e à corrupção no governo do Estado.

Por Jeisael Marx

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido!!!