BABADO DA SEMANA

Adversários políticos classificam Josimar de Maranhãozinho como chefe de quadrilha

Segundo levantamento, Josimar de Maranhãozinho constrói R$ 1 milhão em patrimônio a cada ano

Apontado como campeão de recebimento de emendas parlamentares no Brasil – e tido por adversários como chefe de uma quadrilha especializada em desvio de dinheiro público – o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) é um fenômeno financeiro. O também deputado federal, Aluísio Mendes já o acusou publicamente.

O parlamentar saiu do patrimônio zero – em sua primeira candidatura, em 2004 – para nada menos que R$ 14,5 milhões em 14 anos de atividade política.

É o que mostra um levantamento feito pelo blog do jornalista Linhares Júnior, com base em dados da Justiça Eleitoral. (Leia aqui)

Em sua estreia política, em 2004, Josimar declarou ter nenhum bem ao candidatar-se a prefeito de Maranhãozinho. Quatro anos depois, em 2008, o prefeito do interior declarou uma pequena fortuna de R$ 463.906,86, quase meio milhão de reais.

Além do Portal G7, Josimar de Maranhãozinho também é pauta recorrente de sites como nos blogs Marco Aurélio D’Eça e Linhares Júnior.

O deputado federal saiu do patrimônio zero para R$ 14,5 milhões em apenas 14 anos de atividade política, segundo levantamento do jornalista Linhares Júnior; para adversários, trata-se de um chefe de quadrilha.

Em outubro de 2017, o fenômeno parlamentar foi assunto no blog do Marco D’Eça com o post “As estripulias de Josimar de Maranhãozinho…”

Já agora em 2020 – em seu segundo ano como deputado federal, foi destaque em levantamento do jornal O Estado de S. Paulo, que o aponta como campeão de recebimento de emendas no país durante o governo Bolsonaro.

Após dois mandatos de prefeito (entre 2005 e 2012), Josimar de Maranhãozinho elegeu-se deputado estadual em 2014; E seu patrimônio já havia se multiplicado por 15, chegando a R$ 6.563.240,69.

Entre 2014 e 2018 o político conseguiu juntar mais R$ 8 milhões em patrimônio, chegando a incríveis R$ 14.591.074,31, declarados ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 2018.

Nos municípios onde Josimar de Maranhãozinho elege prefeitos aliados, os adversários o acusam de comandar tudo, deixado a população a miséria.

E ele ainda tem, pelo menos, mais dois anos de mandato na Câmara Federal…

 

Por Marco D’Eça

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close