NOTÍCIAS

Candidato recebe mais de meio milhão dos fundos eleitoral e partidário e faz campanha a pé no Itaqui Bacanga

O “derrame” de recurso público no União Brasil salta aos olhos, principalmente pela ausência de divulgação de alguns candidatos

Proclamado o resultado das eleições é muito provável que as siglas partidárias e seus respectivos candidatos tenham muitos problemas com a justiça eleitoral, principalmente no processo de prestação de contas dos recursos recebidos dos Fundos Eleitoral e Partidário.

No pleito de 2022, os postulantes aos cargos de Presidente da República, Senador, Deputados Federal, Distrital e Estadual dispõem de nada mais nada menos que a bagatela de R$ 6 bilhões de reais. Desse total, R$ 4,9 bilhões são oriundos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha(FEFC), popularmente conhecido como Fundo Eleitoral, criado em 2017, enquanto R$ 1,1 bilhão do Fundo Especial de Assistência Financeira aos Partidos Políticos, que existe desde 1995 por força da lei 9.096(Lei dos Partidos Políticos).

No parte e reparte, 32 partidos foram agraciados com os recursos. O novo foi o único que renunciou algo em torno de R$ 85 milhões de reais. Os campeões foram União Brasil, partido criado em 2021 com a fusão entre o DEM e o PSL, com R$ 758 milhões(15%) e o PT que recebeu R$ 500 milhões (10%) – uma soma de mais de R$1,2 bilhão apenas para essas duas siglas.

Ainda lideram a lista MDB – R$ 360 milhões, PSD – R$343 milhões, PP – R$ 333 milhões e PSDB – R$317 milhões. Mesmo com toda essa dinheirama, a estrutura de alguns postulantes tem chamado bastante atenção.

Entre as campanhas, apesar do valor já recebido, a do ex-presidente da Associação Comunitária Itaqui Bacanga – Acib – Mauro Ivan Farias de Santiago Junior não vem passando despercebida. Identificado nas urnas como Ivan Júnior, ele teve a candidatura deferida pelo União Brasil e concorre com o número 4420.

O engraçado é que apesar de constar no site oficial do Tribunal Superior Eleitoral – TSE – o total liquido recebido de R$506.945,23 mil, Ivan Júnior anda percorrendo as ruas, ruelas, avenidas e outras localidades na área Itaqui Bacanga, principal reduto eleitoral, de mochila nas costas, lamuriando-se e dizendo que não tem recurso para fazer campanha.

O União Brasil, que tem assegurado uma vaga e tenta conquistar a segunda numa eventual sobra, inscreveu 19 candidatos, sendo 14 homens e 5 mulheres para disputar o cargo de deputado federal em 2022. Os campeões no recebimento dos recursos públicos são os deputados federais Pedro Lucas Fernandes – R$2.814.444,23 e Juscelino Filho com R$2.458.444,23.


O caso de Ivan júnior é apenas um dos muitos casos que após o resultado do pleito deverão obstruir o sistema do TSE com inúmeras denúncias, acarretando dor de cabeça não apenas para os candidatos, mas, também, os chamados “manda chuvas” do partido. Vamos aguardar.

OUTRAS INFORMAÇÕES 

Em 2022, o Fundo Eleitoral conta com R$4,9 bilhões, enquanto o Fundo Partidário e de R$ 1,1 bilhão. Em 2018, as campanas para a Câmara do Deputado, por exemplo, receberam R$1,354 bilhão. Desses recursos, R$ 842 milhões vieram do Fundo Eleitoral e R$ 191 milhões vieram do Fundo partidário. O restante, quase R$ 322 milhões foram doações de pessoas físicas, recursos próprios dos candidatos, financiamento coletivo(vaquinhas virtuais) e doações pela internet(Fonte Câmara dos Deputados).

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido!!!