NOTÍCIAS

Centralizador, Braide transforma secretários inteligentes em incompetentes

Desde o início de sua gestão em janeiro de 2021, governo Braide fracassou em todas as áreas

Na campanha eleitoral Eduardo Braide batia no peito e dizia que estava preparado, mas até agora não mostrou todo esse preparo publicizado em 2020. Primeiro, quem mais lhe ajudou politicamente, acabou sendo escanteado logo no início do governo. Os vereadores Francisco Chaguinhas e Marcial Lima, considerados os puxadores do pelotão desde a pré-campanha, acabaram sendo congelados no frigorífico da Prefeitura de São Luís. Chaguinhas, caiu logo fora, já Marcial que era o líder do governo na Câmara, foi substituído no vestiário sem aviso prévio. Braide, é mais um daqueles, que vence com os amigos e governa com os inimigos.

Logo no início do governo, Braide já enfrentava uma crise na saúde. Com a Pandemia de Covid-19 e hospitais lotados, a Secretaria Municipal de Saúde, comandada pelo médico Joel Nunes, não tinha sequer máscara de procedimento para os profissionais da saúde trabalharem com mais segurança. O médico teve que apelar e pedir ajuda ao empresário Lobão Filho, que acabou doando 20 mil máscaras para a prefeitura de São Luís.

O fracasso do governo Braide vem desde o embrião. O prefeito é considerado centralizador, não aceita ser corrigido e transforma secretário inteligentes e preparados em incompetentes. É o que tem feito ao colocar espiões dentro das secretarias para tentar atrapalhar o trabalho de quem ainda pensa em trabalhar nesse governo. Segundo fontes, nenhum secretário pode aparecer mais que Braide, já que seu projeto é ser candidato ao governo do Estado em 2026.

A prova de sede de publicidade de Braide, está na campanha de vacinação contra a Covid-19. O secretário que é médico, pouco aparecia. Já Braide, estava na tela da TV Mirante de 3 em 3 horas, como se fosse uma medicação para combater uma bactéria. Só que esse amor entre Mirante e Braide acabou após a verba publicitária atrasar, segundo fontes, a relação está cortada literalmente. Nos últimos dias, Braide tem pegado umas chicotadas diariamente de vereadores e da sociedade.

Em 14 meses de gestão, Braide mostra que não tem habilidade para administrar uma cidade com mais de 1 milhão de habitantes e tantos problemas estruturais. Só pra relembrar nossos leitores, Braide já enfrentou greves do Transporte Público, Garis, Educação e pode ter que enfrentar a greve dos servidores em geral, já que ele não consegue manter as secretarias em funcionamento pleno. Falta tudo!

Com o fracasso no governo, Braide começou a fazer mudanças nas secretarias e colocar gente que no mínimo cumpra suas ordens autoritárias, mesmo que não faça nada. Primeiro a cair foi a vice-prefeita, que teve que deixar a Secretaria de Educação e voltar para seu cantinho. Depois caíram os secretários da SMTT e de Comunicação, Joaquim Haickel. Outros grades profissionais pediram para sair, alguns por observar a incompetência de Braide, outros por perseguição, como foi o caso do professor Geraldo Siqueira, que deixou a Secretaria de Meio Ambiente, segundo fontes, por perseguição de um primo de Braide. Quem tem planos para realizar alguma coisa, acaba ficando com as mãos atadas.

As secretarias que mais sofrem com o péssimo governo de Eduardo Braide são a SEMUS, SEMED e SEMCAS, que encontram dificuldades e falta tudo. Nos hospitais falta até materiais de limpeza, medicamentos, máscaras e luvas. Na Semcas, não é diferente, falta tudo, inclusive produtos alimentícios para manter abrigos administrados pela Prefeitura de São Luís. Já na SEMED, o problema é bem maior, inclusive os professores estão em greve desde o dia 18 de abril.

Tudo isso, revela na verdade, a fragilidade de um prefeito que saiu de salvador da pátria à incompetente sem precedente. Em 2020, o tom da campanha eleitoral para prefeito de São Luís foi o de convencer a população de que para governar a capital era preciso estar pronto. E este tom foi necessários porque os que disputavam o pleito não tinham experiência comprovada como gestor, a não ser as secretarias e órgãos que controlaram por questões políticas.

E com o discurso de que estudou, de que sabiam os problemas de São Luís e as soluções a serem implementadas além, claro, da figura do novo para a gestão da capital, os candidatos a prefeito levaram ao eleitor as promessas de uma São Luís do futuro com Saúde, Educação e Infraestrutura de qualidade. Na realidade, hoje a capital maranhense se transformou em uma tábua de pirulito.

Com tantos discursos parecidos, a maioria do eleitorado ludovicense decidiu por Eduardo Braide, até aquele momento, deputado federal. Mais do que os seus adversários, Braide abusou da expressão “estou pronto” para convencer os ludovicenses de que ele transformaria São Luís em uma cidade melhor para viver. E convenceu, mas até agora, mas não transformou no que ele prometeu, pelo contrário, transformou em uma cidade pior que estava.

Eduardo Braide deveria ser multado pelo Procon de Duarte Júnior, já que ele vendeu um produto e entregou outro produto. Em menos de um ano e meio de gestão, Eduardo Braide acumula recordes ruins em São Luís. Ele conseguiu, em 10 meses, ter a mais longa greve de rodoviários com 100% da frota paralisada. Abriu os cofres públicos para os empresários com a promessa de não reajustar o valor da passagem, mas acabou fazer o contrário.

E as crises não param por aí. Braide deixou alunos da rede pública de ensino seis meses sem receber a cesta básica. Deixou os alunos ainda sem escola durante todo o ano de 2021 e a maior parte dos alunos sem escola este ano. Não sei se realmente Braide está preparado, já que as reclamações são grandes e de modo geral.

E assim vai se passando a gestão de Eduardo Braide que não parece estar pronto de fato para governar São Luís, uma cidade que está suja, cheia de buracos, com educação precária e hospitais sujos com baratas, ratos e lixo acumulado.

E para completar a dose, servidores, vereadores, secretários e lideranças políticas, ainda precisam aguentar os irmãos Fernando Braide e Tony Braide, coagindo todo mundo, segundo fontes, como se fossem os chefes e nem servidores são, de acordo com o Diário Oficial do Município de São Luís.

Com informações do Imirante.com

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido!!!