TRANSPORTE

Greve dos rodoviários em São Luís-MA chega ao 8º dia sem previsão de término

Trabalhadores são massacrados, trabalham além da carga horária e ainda ficam com salário atrasado

A greve dos motoristas, cobradores e fiscais de ônibus de São Luís chega nesta quinta-feira, 28, ao 8º dia e sem previsão de término. O prefeito de São Luís, Eduardo Braide (Podemos), anunciou no início desta semana que até o dia de hoje detalharia o auxílio emergencial que poderia selar a paz entre rodoviários e empresários e fazer com que os ônibus voltassem a circular na cidade, mas até agora nada aconteceu.

Ontem os rodoviários estiveram presentes na Câmara Municipal de São Luís durante a sessão plenária de apreciação dos vetos à Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO). A categoria se reuniu com os vereadores integrantes da Comissão de Mobilidade Urbana do parlamento, presidida pelo vereador Astro de Ogum (PCdoB), e os vereadores se comprometerem em estabelecer uma mesa de diálogo junto à Prefeitura de São Luís.

Enquanto o impasse não é resolvido, cerca de 700 mil pessoas que dependem do transporte coletivo na capital maranhense estão procurando formas alternativas para chegar aos seus destinos. Quem está lucrando com a situação são os motoristas de transporte por aplicativo que viram os seus lucros aumentar em razão da demanda.

A greve dos rodoviários mais duradoura em São Luís aconteceu no ano de 2014, durante a gestão do ex-prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), e se estendeu por 16 dias. No final do movimento paredista, as passagens foram reajustadas em R$ 0,30.

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo