DESEMPREGO

O “leão” matou o “leão” no Maranhão

O slogan do supermercado Maciel agora soa como ironia do destino

Conhecido na linguagem dos empresários como “leão”, o imposto cobrado pelos governantes e pago pelos empresários foi o principal motivo da falência do Grupo Maciel, uma das grandes redes de supermercados da capital maranhense. O Maciel foi fundado em 1996 e morreu em 2018, sendo sepultado em janeiro de 2019.

Desde que nasceu no bairro Bequimão em São Luís, o supermercado Maciel enfrentou grandes concorrências de igual para igual, um jogo duro, mas justo para todos. Como grandes concorrentes tinha Lusitana, Bom Preço, Carone, Preço Bom, além de supermercados de bairros que também brigavam com os famosos gigantes do varejo. Conhecido por vender muito barato, o Supermercado Maciel usava um slogan que virou o mascote da empresa, “O leão da economia”.

Mas não foi só o Maciel que está acabando e deixando dezenas de trabalhadores desempregados. Em 2018, o grupo americano Walmart também fechou várias lojas no Maranhão, numa sequência de geração de desemprego no estado. O motivo vou mostrar logo no parágrafo abaixo.

Em março de 2017, o governador Flávio Dino fez aprovar na Assembleia Legislativa do Maranhão, o Projeto de Lei Nº 234/2017, que beneficiaria apenas os centros de distribuição no Maranhão com alíquota de apenas 2% no Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Mas o projeto comunista estabeleceu que apenas empresas com mais de R$ 100 milhões de reais de patrimônio poderiam ser beneficiadas.

Ganha um coraçãozinho quem adivinhar o nome da única empresa beneficiada no Maranhão. Quem respondeu Mateus, acertou na Mega Sena. Apenas o Mateus, que mais tarde se tornou o maior parceiro do governo do estado, investindo em reforma de escolas, quadras poliesportivas, cemitérios e tantos outras ações.

A aprovação do projeto de lei batizado de Lei Mateus, gerou Nota de Repúdio da própria Associação Maranhense de Atacadistas, por gerar concorrência desleal. Desde então, o grupo Mateus passou a ser patrocinador de eventos e até de obras do governo Flávio Dino

A primeira loja do Mateus inaugurada em São Luís aconteceu em 2003. Desde que chegou, o Mateus ainda fechou lojas, mas com a lei Mateus, voltou a abrir novas lojas na capital e interior do Maranhão. Pequenos supermercados, principalmente em feiras quebraram, alguns até fecharam total.

Com diz o poeta Plácido Gonçalves, na hora de matar a onça ninguém tem coragem, mas depois da onça morta, todo mundo quer encostar nela. Assim acontece com a polêmica da falência do Grupo Maciel. Flávio Dino fiz que não foi culpado, mas nas redes sociais a culpa é colocada na conta do governador do Maranhão. Mas fica uma grande pergunta: é fácil brigar na concorrência, quando você paga 18% de impostos e seu principal concorrente só paga 2%?

Nas redes sociais o governador ressaltou que os benefícios fiscais são destinados a centenas de empresas e que não cabe ao governo gerenciar concorrência. Só faltou Flávio Dino citar pelo menos nome de 2 dessas empresas.

“Não cabe ao Governo do Estado gerenciar concorrência entre redes de supermercado. A Constituição não permite esse tipo de intervenção. Quanto aos benefícios fiscais, centenas de empresas são destinatárias, nos termos constantes de lei que vale para todo o segmento”, disse o governador.

No gabinete do delegado Twitter, Flávio Dino registou três boletins de ocorrência para tentar se defender do massacre que está sofrendo nas redes sociais, mesmo tendo um exército com soldados metralhando a oposição.

“Sei que não devo, mas ainda me impressiono com a atitude de alguns que criam e divulgam “notícias” sem nenhuma base real, apenas para gerar tumulto e fazer o mal”, acrescentou.

E reforçou: “É absolutamente mentiroso que uma rede de surpermercados no Maranhão tem benefícios fiscais exclusivos. Repito: isso é MENTIRA”.

Se vida de empresário já é complicada disputando uma concorrência livre, de igual para igual, imagina quando você paga R$ 18,00 de cada R$100,00 arrecado, sabendo que seu concorrente só paga R$ 2,00 do mesmo valor. Seria uma briga desleal. Mateus 2% X Maciel 18%. O Mateus teve um faturamento em 2018 de R$ 6 bilhões de reais. Imagine 16% sobre isso que o estado do Maranhão perdeu do Grupo Mateus.

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo