PERSONALIDADE

Prefeito João Martins discute na Codevasf construção dos Diques da Baixada

Presidente do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense participou de reunião com o superintendente da companhia

Na última segunda-feira (5), o prefeito de Bequimão e presidente do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM), João Martins, participou de uma reunião com o superintendente da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Celso Adriano Costa Dias, para tratar de assuntos ligados aos Diques da Baixada. Também participaram da conversa na sede da Codevasf os vice-presidentes do FDMB, Expedito Moraes e Antônio Valente, e os engenheiros da companhia, Julimar e Gustavo.

João Martins, que já esteve à frente da Codevasf, foi muito bem recebido no seu antigo trabalho por todos os funcionários. A conversa com o superintendente e com os técnicos da companhia serviu para demonstrar o desejo dos integrantes do FDMB em acompanhar o andamento dos estudos para a construção dos Diques da Baixada. O diálogo avançou e já há uma reunião agendada em Brasília.

A obra dos Diques da Baixada é considerada a redenção social e econômica para os municípios da Baixada Maranhense. Com recursos garantidos pela União por meio de emenda parlamentar, a Codevasf já contratou e concluiu a cartografia, a conclusão dos levantamentos de impactos ambientais deverão ser concluídos até fevereiro do ano que vem, deixando tudo pronto para a conclusão do projeto executivo e finalmente execução da importante obra aguardada pelos baixadeiros há mais de três décadas.

Diques da Baixada

O projeto Diques da Baixada Maranhense é um sistema composto por dois diques com extensão conjunta de cerca de 70,45 quilômetros, a ser implantado na região da Baixada Maranhense. Ele deve ser capaz de acumular 600 milhões de metros cúbicos e pode beneficiar 193 mil pessoas em oito municípios.

Os Diques permitirão a contenção de água doce durante a estação chuvosa. As estruturas deverão armazenar a água que provém de uma precipitação média de 2.000 milímetros de janeiro a junho – e que no restante do ano é praticamente zero. O aumento da oferta hídrica deverá contribuir para a redução da pobreza e do êxodo rural na região, propiciando alternativas de trabalho e renda para as populações de Bacurituba, Cajapió, Matinha, Olinda Nova do Maranhão, São Bento, São João Batista, São Vicente Ferrer, Viana.

Além de prover água para consumo humano, os Diques ampliarão o período de pesca artesanal, saciarão a sede de criações animais e poderão disponibilizar água para a agricultura familiar irrigada e para pastagens de pecuária leiteira; eles também darão viabilidade à circulação de canoas e suas estruturas devem possibilitar tráfego leve (bicicletas, motocicletas e carroças, por exemplo).

Outros benefícios esperados com a implantação dos diques são: proteção das áreas mais baixas contra a entrada de água salgada em região de água doce; contenção e armazenamento de água doce originária da estação chuvosa nos campos naturais; aumento da disponibilidade de água no período de estiagem; desenvolvimento do setor primário; criação de cerca de 3.300 postos de trabalho; redução do êxodo rural; incremento da produção agropecuária e da piscicultura; e promoção da cidadania e inclusão social.

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo