BABADO DA SEMANA

Prefeitura de Alcântara assina contratos de quase R$ 2 milhões para a Educação

O contrato envolve três empresas para fornecimento de gêneros alimentícios e kits escolares

A prefeitura de Alcântara-MA, administrada pelo prefeito Padre William (PL), homologou mais três contratos, desta vez para a Secretaria Municipal de Educação de quase R$ 2 milhões de reais. Três empresas foram licitadas: sendo duas para fornecimento de gêneros alimentícios e uma para fornecimentos de kits escolares e materiais didáticos para estudantes alcantarenses.

Uma das empresas que venceu a maior fatia da licitação é da cidade de Pinheiro-MA. Trata-se da Hiper Moriá, CNPJ: 21.952.819/0001-29, localizada na Rua André Lopes de Sousa, 147, Alcântara, Pinheiro-MA, e vai abocanhar o valor de R$ 1.500.724,80 (um milhão, quinhentos mil, setecentos e vinte e quatro reais e oitenta centavos). Já a outra empresa que também vai fornecer gêneros alimentícios para a Secretaria de Educação é a RR Assessoria e Empreendimentos Ltda, CNPJ: 37.382.431/0001-70, localizada no bairro Jardim Turu, em São Luís e tem um contrato no valor de R$ 57.398,00 (cinquenta e sete mil e trezentos e noventa e oito reais), com duração até dezembro de 2021.

A terceira empresa licitada vai fornecer kits escolares para estudantes alcantarenses e trata-se da Florescer Editora e Distribuidora de Livros Educacionais LTDA, CNPJ: 06.000.244/0001-50, localizada na Avenida Getúlio Vargas, Nº 145, bairro Apeadouro, em São Luís. O valor global do contrato é de R$ 323.490,00 (Trezentos e vinte e três mil, quatrocentos e noventa reais).

O contrato que foi homologado e publicado no Diário Oficial nesta sexta-feira (12) somados os valores das três empresas tem o montante bruto de R$ 1.881.612,80 (Um milhão, oitocentos e oitenta e um mil, seissentos e doze reais e oitenta centavos). Resta saber se mesmo sem aula, alunos irão receber kits de merenda escolar, já que empresas foram contratadas.

Um coisa me chamou atenção é a compra de produtos que deveriam ser buscados na agricultura familiar local, mas deverão ser comprados lá fora, o que mantém a pobreza dentro do município e a desvalorização do produtor rural local, que tanto ouviu sobre investimentos na agricultura familiar durante a campanha eleitoral. Mais uma vez os trabalhadores rurais de Alcântara poderão ficar no rabo da fila.

Veja mais sobre os contratos clicando AQUI o contrato com as empresas (páginas de 03 a 09).

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo