BABADO DA SEMANA

Rodrigo Maia diz que Bolsonaro brinca de presidir Brasil

Bolsonaro rebate Rodrigo Maia: 'Não existe brincadeira de minha parte'

SÃO PAULO E BRASÍLIA — Em meio às dificuldades de articulação política do governo federal, o presidente Jair Bolsonaro e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, protagonizaram mais uma série de troca de farpas nesta quarta-feira.

Em entrevista à TV Band, Bolsonaro afirmou que Maia estava “abalado” após a prisão do marido de sua sogra, Moreira Franco. A declaração não foi bem recebida por Maia, que reagiu dizendo que o presidente precisava parar de “brincar de presidir o Brasil”. Ele chegou a dizer que estava na “hora de parar”.  Mas, logo depois, em uma tréplica, Bolsonaro rebateu Maia:

— Não existe brincadeira de minha parte. Muito pelo contrário. Quero não acreditar que ele (Maia) tenha falado isso — afirmou Bolsonaro.

O presidente comentou que as palavras usadas por Maia não eram as esperadas de alguém que ocupa a posição do deputado.

— Se foi isso que ele disse mesmo eu lamento. Não é palavra de uma pessoa que conduz uma Casa (legislativa).

Bolsonaro disse também que a aprovação da reforma da Previdência não é responsabilidade apenas dele ou do Congresso, mas de todos.

Antes dessa tréplica, Maia havia afirmado que Bolsonaro precisa parar de “brincar de presidir o Brasil” depois que foi perguntando sobre a frase dita por Bolsonaro em entrevista à Band. O presidente disse que Maia  “está um pouco abalado com questões pessoais que vem acontecendo na vida dele” Bolsonaro se referia à prisão de Moreira Franco, marido da sogra do presidente da Câmara.

— Abalados estão os brasileiros que estão esperando desde primeiro de janeiro que o governo comece a funcionar. São 12 milhões de desempregados, 15 milhões de brasileiros vivendo abaixo da linha de pobreza, capacidade de investimento do Estado brasileiro diminuindo, 60 mil homicídios… E o presidente brincando de presidir o Brasil — disse o presidente da Câmara.

Após Bolsonaro dizer que não estava brincando e argumentar que esse tipo de declaração não era apropriada a um presidente da Câmara, Maia foi procurado novamente. E disse que está sendo atacado por aliados do presidente:

— Eu não vou responder. Eu sei muito bem o que eles tem usado de palavras contra mim. Palavras de baixo calão, grosserias. Então é engraçado que uma pessoa que acha graça neste tipo palavreado na internet faça algum tipo de crítica, mas eu prometi que acabou.

Protesto mudou agenda em SP

Bolsonaro desembarcou em São Paulo por volta das 13h. Ele iria visitar, na capital paulista, um laboratório de grafeno na Universidade Presbiteriana Mackenzie, mas optou por conhecer o projeto em outro lugar, o Comando Militar do Sudeste depois que o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) identificou a ocorrência de protestos em frente à universidade .

Depois, o presidente seguiu para o hospital Albert Einstein para uma consulta. Segundo boletim médico divulgado no fim da tarde, o presidente está em “excelentes condições físicas”. Ele passou por teste ergométrico e recebeu orientações sobre a dieta.

Por volta das 17h55, Bolsonaro chegou acompanhado pela primeira-dama, Michelle, para um evento beneficente na casa do dono da Cyrela, Elie Horn. Jornalistas do GLOBO e de outros jornais e rádios foram impedidos de acompanhar a cerimônia . Ele deixou o evento cerca de uma hora depois.

Por Silvia Amorim e Bruno Góes (O Globo)

Mostre mais

Artigos Relacionados

Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo