TURISMO

Alcântara-MA: Uma cidade considerada um museu a céu aberto

Com rico conjunto arquitetônico que contém mais de 400 prédios históricos e ruínas, Alcântara é uma das cidades tesouro escondidas no litoral norte do Maranhão

Por G1/MA – Localizada no litoral norte, Alcântara é uma das cidades mais importantes para visitar, principalmente se você busca conhecer a história do Maranhão. Entre prédios históricos e ruínas, a cidade é rica em cultura, culinária e abriga uma das manifestações religiosas mais tradicionais do estado, a festa do Divino Espírito Santo.

Com um conjunto arquitetônico com aproximadamente 400 imóveis e ruínas dos séculos 17 e 18, visitar o município é poder se conectar diretamente com o período colonial do país, visitando um museu à céu aberto.

Em 1948, Alcântara recebeu o título de cidade Monumento Nacional, por meio do decreto federal. Mesmo sendo nacionalmente reconhecida como tesouro, a cidade ainda esconde muitas belezas não tão conhecidas por turistas e maranhenses.

Pensando nisso, o G1 Maranhão listou um roteiro completo para quem quer conhecer a cidade e seus encantos.

Ruínas de Alcântara, cidade no litoral norte do Maranhão. — Foto: Divulgação/Eraldo CoimbraRuínas de Alcântara, cidade no litoral norte do Maranhão. — Foto: Divulgação/Eraldo Coimbra

Como chegar

Cais da Praia Grande em São Luís (MA) — Foto: Divulgação/Laerth SoaresCais da Praia Grande em São Luís (MA) — Foto: Divulgação/Laerth Soares

Para chegar até a cidade, o turista precisa pegar um barco, lancha ou catamarã que partem do Cais da Praia Grande, em São Luís. Os guichês das embarcações abrem uma hora antes do horário de partida.

É possível comprar a passagem de volta para São Luís logo no momento do desembarque em Alcântara. Os horários variam de acordo com a maré, mas há saídas três vezes ao dia. A viagem dura 1h20 e custa R$ 15 por trecho.

Para chegar até Alcântara de barco, é preciso atravessar até a Baía de São Marcos. — Foto: Divulgação/Felipe SpiderPara chegar até Alcântara de barco, é preciso atravessar até a Baía de São Marcos. — Foto: Divulgação/Felipe Spider

Outra forma de chegar até a cidade é pelo Ferry-Boat, uma opção para quem busca mais comodidade e quer passar mais tempo na cidade. A travessia tem 1h 30min de duração e tem partida a Ponta da Espera, sendo realizada em vários horários no dia. O valor da passagem custa R$ 13.

A chegada é no Porto do Cujupe. A partir desse momento, a viagem continua de carro ou van, que custa entre R$15 por trecho.

O trajeto até a cidade é longo, com intervalos entre os transportes e pode levar entre 2h30 e 3h. Esse roteiro não é indicado para uma viagem de bate-volta.

A travessia até Alcântara também pode ser feita via ferry-boat. — Foto: Reprodução/TV MiranteA travessia até Alcântara também pode ser feita via ferry-boat. — Foto: Reprodução/TV Mirante

O que ver e fazer em Alcântara

Chegada em Alcântara é pelo Porto do Jacaré. — Foto: Divulgação/Felipe SpiderChegada em Alcântara é pelo Porto do Jacaré. — Foto: Divulgação/Felipe Spider

Ao chegar na cidade de barco, o desembarque é pelo Porto do Jacaré. Os visitantes são conduzidos pelo passado colonial, iniciando o passeio pelos principais atrativos de Alcântara.

Seguindo pela chamada Ladeira do Jacaré, logo à direita, fica localizada a Capela de Nossa Senhora do Desterro. O local abriga um imenso sino místico que, segundo a tradição dos moradores, deve ser tocado pelos visitantes que devem fazer um pedido. Além disso, a capela possui um mirante com uma vista para a Ilha do Livramento.

Visão do mirante localizado na Capela de Nossa Senhora do Desterro, em Alcântara. — Foto: Divulgação/Caroline AranhaVisão do mirante localizado na Capela de Nossa Senhora do Desterro, em Alcântara. — Foto: Divulgação/Caroline Aranha

Logo em seguida, fica a praça da Matriz, que abriga a Igreja de São Matias, o cartão-postal da cidade histórica. O monumento é um dos principais pontos de visitação da cidade.

Visão da praça e da igreja de São Matias, em Alcântara (MA) — Foto: Divulgação/Bruno MendonçaVisão da praça da Matriz e da igreja de São Matias, em Alcântara (MA) — Foto: Divulgação/Bruno Mendonça

Ainda na praça da Matriz, existem dois pequenos museus. O Museu Histórico de Alcântara, que ocupa o casarão do Barão de São Bento e organiza provas dos tempos áureos da cidade. O museu está aberto para visitação de terça-feira a domingo, das 8h às 12h.

Fachada do Museu Histórico de Alcântara (MA) — Foto: Divulgação/Gabi Torrezani

Em outro lado, fica localizado a Casa Histórica de Alcântara, sendo um museu temático que reconstitui a residência da família do comerciante português Antônino da Silva Guimarães, um dos principais moradores da cidade. Mas por conta de uma reforma está fechado para visitação.

Fachada do Museu Casa História de Alcântara — Foto: Wikipédia

Mais à frente, próximo a prefeitura de Alcântara, fica localizada a Rua da Amargura. O local abriga galeria de belas ruínas e o Palácio do Barão de Grajaú.

Visão da rua da Amargura, em Alcântara (MA) — Foto: Divulgação/Caroline Aranha

À direita, estão as ruínas dos palácios do Barão de Mearim e do Barão de Pindaré, sinal que a cidade de Alcântara foi prestigiada durante os tempos do Brasil-Colônia, e estes foram construídos para receber a realeza brasileira.

Com o anúncio da chegada de Dom Pedro II, foi iniciada uma disputa na cidade, entre o Barão do Pindaré e o Barão de Mearim, que queriam impressionar o Imperador do Brasil.

Já em frente ao palácio do Barão de Pindaré, fica a Igreja Nossa Senhora do Carmo, que possui uma rica ornamentação no interior. Ao lado dela, estão as ruínas de um convento carmelita que nunca chegou a ficar pronto.

Igreja de Nossa Senhora do Carmo em Alcântara (MA) — Foto: Divulgação/Felipe SpiderIgreja de Nossa Senhora do Carmo em Alcântara (MA) — Foto: Divulgação/Felipe Spider

Continuando o roteiro, o turista deve seguir pela rua da Miritua. Cerca de três ruas à direita, fica a rua do cemitério da cidade, que apesar de estranho, possui duas atrações interessantes. A primeira é a pequena Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, local onde os escravos rezavam.

Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos em Alcântara (MA) — Foto: Divulgação/Felipe SpiderIgreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos em Alcântara (MA) — Foto: Divulgação/Felipe Spider

Durante o passeio, o visitante deve saborear um doce de Espécie. A especiaria é uma espécie de doce de queijadinha de coco. Por ser muito popular, ela é vendida por vários locais da cidade.

Ao visitar Alcântara, o visitante deve saborear um doce de Espécie. — Foto: Divulgação/Caroline AranhaAo visitar Alcântara, o visitante deve saborear um doce de Espécie. — Foto: Divulgação/Caroline Aranha

Por Nelyane Gomes* (*Estagiária supervisionada por Rafaelle Fróes).

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo