BEQUIMÃO

Bequimão-MA: Áudios mostram que professores estão decepcionados com os vereadores Sassá e Chico Ferreira

Os dois vereadores foram contra o reajuste aos servidores da educação: Sassá votou contra e Chico Ferreira se absteve da votação na Câmara

O G7 teve acesso a dois áudios que circulam em grupos de WhatsApp na cidade de Bequimão, onde o teor das gravações mostra nitidamente a insatisfação de professores da rede pública municipal com os vereadores Chico Ferreira (PSD), que também é professor, e Sassá (PDT). Um áudio de 59 segundos e outro de 35 segundos, deixam claros, que os servidores da educação estão decepcionados com a atitude dos parlamentares, que antes da votação, se mostravam a favor dos servidores, mas na última sexta-feira (29), foram literalmente contra os professores. Ouçam os áudios abaixo.

Após repercussão negativa em Bequimão, e a decepção dos servidores da rede municipal de ensino, com a atitude dos parlamentares durante votação do reajuste aos professores, o vereador Sassá divulgou uma Nota de Esclarecimento, tentado se explicar, mas acabou se complicando ainda mais e mostra claramente, que está desinformado sobre o reajuste aos professores. Veja a Nota abaixo.

Em sua nota, Sassá diz que foi contra os 13,24% que restavam para complementar os 33,24% autorizados pelo governo federal. Isso mostra, que o vereador está desinformado quanto ao Projeto de Lei em votação que autorizava o reajuste salarial de 20%, já que isso foi um acordo entre a Prefeitura de Bequimão e o Sindicato dos Servidores (SISMUBEQ). O próprio Ministério Público do Maranhão divulgou um parecer explicando sobre o tal reajuste salarial, autorizado por Bolsonaro.

ENTENDA O CASO

A última sexta-feira (29), a Câmara de Vereadores de Bequimão, colocou em votação o Projeto de Lei Nº 002/2022, de autoria do Executivo Municipal, que autoriza a gestão do prefeito João Martins (MDB), conceder reajuste salarial de 20% aos professores efetivos do município de Bequimão. A matéria foi votada durante sessão ordinária e projeto foi aprovado por 8 a 1. Além disso, o projeto instituiu ajuda de custo temporária aos profissionais da educação, operacionais e administrativos. Entre os 10 parlamentares presentes no plenário, Sassá votou contra e Chico Ferreira se absteve da votação.

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido!!!