BEQUIMÃO

Bequimão participa de oficinas sobre Busca Ativa Escolar

Os representantes bequimãoenses participam do encontro através das oficinas virtuais

A Prefeitura de Bequimão segue trabalhando, junto ao Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), no fomento das ações emergenciais de assistência à população do município, em tempos de pandemia. A partir desta semana, gestores da Secretaria Municipal de Educação (Semed), Articuladores(as) Municipais do Selo UNICEF, Coordenadores(as) Operacionais da Busca Ativa Escolar (BAE) e demais membros da equipe da BAE participam de oficinas virtuais com orientações sobre as ações de Busca Ativa Escolar em crises e emergências.

As oficinas ocorrem nos dias 22 e 25 de setembro, para os estados do Maranhão, Pará, Amapá e Tocantins. Já as equipes dos estados do Amazonas, Acre, Roraima, Mato Grosso e Rondônia, participam dos encontros nos dias 29 de setembro e 1º de outubro. As transmissões serão ao vivo, sempre às 10h (horário de Brasília), no canal do UNICEF no Youtube: https://www.youtube.com/UNICEFBrasil 

De acordo com Sidney Vasconcelos, Oficial de Educação do UNICEF, o órgão das Nações Unidas realiza as oficinas com o intuito de mostrar às equipes municipais as possibilidades de implementação e manutenção da Busca Ativa Escolar, respeitando as orientações sanitárias e de saúde. Para além do trabalho de busca ativa em campo que, neste momento, não tem sido realizado integralmente devido às normas de distanciamento social, a realização de ações remotas, via telefone, internet e outros meios, contribuem para a implementação da estratégia. Como parte deste esforço, tem sido ofertado também curso a distância “Busca Ativa Escolar na prática” que contribui para uma melhor compreensão da metodologia e orienta ações tais quais aquelas voltadas para o diálogo intersetorial e o manuseio da plataforma. Essas ações, portanto, contribuem para que mais crianças e adolescentes tenham seu direito à educação garantido e mantenham o seu vínculo com a escola.

“O período de pandemia traz, e até impõe, alguns outros desafios à realidade desses meninos e meninas. Como consequência, verificamos o aumento das taxas de abandono e evasão escolar, aumentando, assim, a exclusão escolar”, destaca Sidney Vasconcelos. “Diante disso, o UNICEF pensou, juntamente com os seus parceiros, em como fazer com que essa exclusão seja mitigada, mesmo durante o período de pandemia. Nesse período de crise e de emergência de saúde pública, a Busca Ativa Escolar pode acontecer mesmo de forma remota e, junto a mais de 3 mil municípios brasileiros, queremos chamar a atenção às formas disso acontecer”.

Até então, 105 municípios da região já cumpriram a meta de rematrículas e devem continuar implementando a estratégia da Busca Ativa Escolar, mesmo ao longo da pandemia de Covid-19. Devido ao impacto no funcionamento presencial das escolas, o UNICEF, junto a Undime Nacional, vai apresentar as principais orientações para implementação da BAE em crises e emergências, como esta que vivenciamos hoje. O aumento das taxas de abandono, evasão e consequente exclusão escolar também preocupa os parceiros do UNICEF na iniciativa.

“Entendemos que as oficinas, com orientações sobre como lidar com esse processo, sejam fundamentais”, declara Kennedy Leite da Silva, Articulador Social do Selo UNICEF, pelo Instituto Peabiru, e secretário-executivo da UndimeRR. “Os municípios têm dificuldades em fazer o trabalho de busca ativa com eficiência no processo, no acompanhamento dos casos e na atualização da plataforma. Assim, a compreensão da estratégia, como um todo, é importante para que tenhamos mais crianças e adolescentes nas escolas e possamos evitar um alto índice de evasões”.

Tendo em conta o papel também das áreas de saúde, assistência e proteção, a estratégia de busca ativa envolve, especialmente, professores e a equipe diretiva. Nesse contexto, as escolas passam a ser centrais no fluxo da estratégia, a partir do acompanhamento da frequência escolar de crianças e adolescentes.

Sobre a Busca Ativa Escolar 

A Busca Ativa Escolar é uma metodologia social e uma plataforma gratuitas para ajudar os municípios e os estados a enfrentar a exclusão escolar, desenvolvida pelo UNICEF em parceria com a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), o Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (Congemas) e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

Essa iniciativa é uma das ações de validação obrigatórias para o alcance dos resultados sistêmicos, sem a qual o município não estará apto à certificação com o Selo UNICEF. Para o cumprimento do Resultado Sistêmico 2, que faz referência às estratégias de combate à exclusão escolar, foram definidas duas tarefas: a adesão à Busca Ativa Escolar e a implementação da estratégia, garantindo a (re)matrícula de, pelo menos, 20% do total de estudantes não localizados segundo a planilha do Educacenso (INEP/MEC). O prazo para comprovação desta ação, no Selo UNICEF, é o dia 31 de outubro.

Guia ajuda a desenvolver a Busca Ativa Escolar na pandemia 

A condição de vulnerabilidade socioeconômica de muitas famílias pode ser agravada em situações de crises e emergências, como esta da pandemia, podendo levar a um aumento dos índices de abandono e evasão escolares. Por isso, é necessário que, nesses momentos de crise, a rede de proteção social esteja mais do que nunca alerta, fortalecida e atuante para que todas as meninas e todos os meninos sejam atendidos pelos serviços públicos e tenham seus direitos integralmente garantidos, sobretudo, o direito à educação.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo