MARANHÃO

Carioca forasteiro tenta puxar a “Sacola” de Carlos Brandão ao atacar Weverton e Josimar

Quanto mais Cappelli tenta mostrar visão política, mas Brandão descobre incapacidade técnica de seu Secretário de Comunicação

O ex-presidente da União Nacional dos Estudantes e ainda secretário de Estado da Comunicação no governo Brandão, Ricardo Cappelli, tenta mostrar visão política ao puxar a “Sacola” de Carlos Brandão atacando adversários de seu chefe, mostrando nitidamente que não tem serventia para mais nada no governo.

Cappelli, que só ainda está empregado, graças a Flávio Dino, utilizou as redes sociais para destilar ódio e atacar o senador Weverton Rocha (PDT) e o deputado federal licenciado, Josimar de Maranhãozinho (PL). O carioca que vive de beira em beira agregado politicamente, quer cantar de galo da terra das palmeiras, mas em sua cidade natal é um zero a esquerda, literalmente.

O “pitbull albino das Laranjeiras”, apelido dado ao carioca forasteiro pelo deputado estadual Yglésio Moyses (PSB), que faz parte da base brandonista na Assembleia Legislativa, deixou claro que ainda não conseguiu digerir a declaração de apoio de Josimar e de seu grupo político a pré-candidatura ao Governo de Weverton. Ao invés de tentar ajudar seu chefe montar uma base mais sólida para tentar chegar ao segundo turno, Cappelli afasta arma conflito interno e afasta aqueles que chegaram recentemente ao Palácio dos Leões.

Cappelli voltou a utilizar da tática flavista, de trazer para o campo regional a polarização entre Lula e Bolsonaro, para menosprezar a união entre Weverton e Josimar. Como todo perdedor, o Secretário de Comunicação de Brandão, mostrou incapacidade política para ajudar o chefe e tenta puxar a “Sacola” de Brandão atacando adversários.

“O bolsonarista raiz está eufórico desde o “grande anúncio” do bolsonarista disfarçado. É a maior soma de rejeição da história. Vai transferir o quê? Os inquéritos na PF? Foi um movimento realmente “jenial””, twittou o carioca, que está com os dias contados para voltar para a Cidade Maravilhosa.

Ricardo Cappelli continua mantido no cargo a pedido do ex-governador Flávio Dino (PSB), que o trouxe para o Maranhão no começo do ano passado, a pedido da direção nacional do PCdoB. Caso contrário, estaria desempregado, já que o mercado da comunicação carioca, não aceita profissional com incapacidade técnica.

O carioca, no entanto, foi esvaziado no governo de Carlos Brandão (PSB), perdendo o comando da articulação política, por exemplo, e também sendo escanteado em detrimento de figuras como Sérgio Macedo, ex-titular da Secom na gestão Roseana Sarney (MDB). A única função de Cappelli no Palácio dos Leões é atacar adversários para mostrar serviço ao chefe, que não engole o funcionário.

Cappelli, de acordo com informações palacianas, deve deixar o cargo até o fim do mês. Enquanto isso, vai mostrar ainda mais lado tosco e ruim, já que na gestão Flávio Dino, foi o maior perseguidor de jornalistas e radialistas no Maranhão.

Como ele é tesoureiro do diretório regional do PSB, a saída achada foi destaca-lo para dedicar-se à campanha de Dino ao Senado. Será meramente entregador de santinhos, já que não serve para mais nada.

Com informações Gláucio Ericeira

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido!!!