POLÍCIA

Estudante more no Terreirão do Samba, no Centro do RJ

Amigos de Maria Fernanda de Lima contaram que ela tomou choque ao enconstar em grade metálica na área de produção do evento

RIO DE JANEIRO – A estudante de Odontologia Maria Fernanda Ferreira de Lima, de 20 anos, morreu eletrocutada na madrugada deste domingo, no Terreirão do Samba, na Praça Onze, Região Central do Rio de Janeiro. Segundo amigos, ela levou  um choque ao encostar numa barra de ferro em uma área de acesso restrito da  produção de um festival de funk. Uma amiga de Fernanda, identificada apenas como Maria Luíza,  também levou um choque, mas passa bem.

O caso aconteceu por volta das3h30, na madrugada deste domingo, quando o Terreirão estava lotado para assistir a apresentações de uma série de DJs. Maria Fernanda chegou a ser socorrida por equipes médicas que estavam de plantão no evento. Segundo amigos, enquanto recebia os primeiros atendimentos, Ela morreu no Hosptal Souza Aguiar depois de sofrer quatro paradas cardíacas.

Estudante do 1º período de Odontologia da Universidade Veiga de Almeida (UVA), Maria Fernanda morava no Grajaú. A estudante era a caçula de uma família com quatro irmãs. Ela foi à festa junto com um grupo grande de amigos.

– Maria Fernanda estava na área de produção a convite de uma amiga, que namora um dos organizadores. Ela encostou na grade e na mesma hora levou um choque. Perdi minha melhor amiga. Eu a considerava  como irmã – contou Pablo Vieira Figueiredo, de 21 anos, também aluno de Odontologia da Veiga de Almeida.

Colega de sala de  Pablo e  amigo de Maria Fernanda, Pedro Augusto Loureiro contou que o grupo de amigos estava dividido. Alguns sugeriram que todos fossem acompanhar o desfile de um bloco de carnaval que sai mensalmente nas ruas do Centro uma vez por ano, independente da ocasião do ano. Mas como parte já havia comprado ingressos para o evento no Terreirão optaram pelo festival de funk.

O evento foi organizado pelo coletivo Puff Puff Bass e  realizado com autorização da Secretaria municipal de Cultura (SMC) , que faz a gestão do Terreirão do Samba, tendo cedido o espaço em troca de 15% da bilheteria.  Em nota, a  SMC informou que está colaborando com a polícia e o local onde ocorreu o acidente passou por inspeção da policia civil na manhã deste domingo. Por sua vez, a produção do evento divulgou uma nota por redes sociais nas quais lamentou a morte da estudante universitária.

” Estamos totalmente desolados com o ocorrido e ficamos inteiramente à disposição para qualquer suporte necessário. Estamos trabalhando junto a autoridades competentes para esclarecer de fato o que provocou tal fatalidade.  O dia é de extrema tristeza e de luto”, diz um trecho da nota.

No mesmo post, pessoas que foram ao evento reclamaram da organização, contando que não havia controle na entrada para barrar o acesso de menores de idade e que o som chegou a ser desligado por volta das 2h porque houve uma queda na energia. Vários passaram a replicar posts com o pedido de “Justiça para Maria Fernanda”.

Procurada, a família da jovem não se pronunciou sobre o acidente.

Por Luiz Ernesto Magalhães (O Globo)

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close