EDUCAÇÃO

Francisco Chaguinhas cobra piso salarial de professores e denuncia negligência em partos

O vereador destacou que o reajuste salarial deve ser concedido para todos os professores

Na sessão plenária desta segunda-feira (14), o vereador de São Luís, Francisco Chaguinhas (Podemos) cobrou do prefeito de São Luís, Eduardo Braide (Podemos) o reajuste de 33,24% para todos os professores da rede municipal de ensino.

Em seu discurso, na tribuna da Câmara, o parlamentar destacou que o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), deu um aumento para todos os professores, mas, segundo ele, o gestor público municipal estaria querendo privar alguns profissionais de receber o vencimento básico inicial, previsto em lei.

“O presidente da República deu um aumento para todos os professores, mas quer fazer casta, várias castas. O recurso foi para todos, que tenham curso superior ou não. Esta Casa tem que ter a capacidade e a liberdade de rever essa situação. Nós somos o poder fiscalizador do Executivo”, disse.

Chaguinhas também denunciou negligência de algumas maternidades na realização de partos. De acordo com o vereador, constantemente vem recebendo relatos das vítimas de violência obstétrica, sobre possíveis irregularidades durante o atendimento às gestantes.

“As maternidades de São Luís e do Maranhão dão procedimentos como se nós ainda estivéssemos na idade das cavernas. Precisamos puxar essa discussão a nível municipal, estadual e nacional”, completou.

Ao concluir o pronunciamento, o vereador cobrou providências e afirmou que situações como essas acabam provocando a morte de bebês ou deixando sequelas graves em algumas crianças.

“Quantas crianças são mortas ou ‘sequeladas’ pela negligência médica? Temos que buscar uma solução para essa situação, pois na maioria das vezes, os pais se preparam para receber o seu filho, mas na hora de a criança vir ao mundo, é negado esse direito, porque passou da hora de nascer”, concluiu.

Por Isaías Rocha

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo