ARTIGO

Quem é mais mentiroso? O professor comunista ou o aluno republicano?

É difícil tirar um vencedor nesse jogo onde os jogadores apelam para a mentira

A população de São Luís e do Maranhão está assistindo estarrecida tanta mentira e manipulação com a fabricação criminosa de fatos que nunca existiram com o objetivo de enganar o povo com fraudes, e assim a todo custo reverter uma situação em que estão praticamente derrotados.

Não tem aquela qualificação popular, de quando um elemento é perverso e o seu parceiro não fica, e que se costuma dizer que um é o pinico e outro é tampa, é a realidade que está posta a nós  pelo professor Flávio Dino e o seu o aluno Duarte Júnior. Para satisfazer os seus intentos mostram as suas exacerbadas competências para a perversidade, criam fakes news, atingem a honra de pessoas e produzem inimagináveis sujeiras contra o candidato Eduardo Braide e seus familiares.

O governador e professor Flávio Dino, ao invés de prestar contas às e a população sobre os R$ 5 milhões de reais que entregou adiantado para uma empresa de bandidos comprar respiradores e nunca recebeu os equipamentos e nem o dinheiro foi devolvido. Tramita no TCE-MA um procedimento para apurar os fatos e recentemente ele tentou impor sigilo para o inquérito, mas foi rechaçado pelos auditores. Existe também na Justiça Federal, o processo que apura o desvio de 18 milhões da Secretaria de Estado da Saúde. São fatos que o governador nunca se posicionou para a opinião pública, mas persiste no autoritarismo do quero, posso e mando, e agora mostra outra faceta a de fabricante de fakes news, como foi o caso de uma publicação na Folha de São Paulo, de que o deputado Eduardo Braide seria investigado pelo Ministério Público Federal.

O aluno é de dar satisfação, alegria e orgulho ao professor, uma vez que em se tratando de periculosidade, ele é altamente especialista, com capacidade extrema para a mentira e produção fakes news. Ele criou uma imagem de que era um menino pobre que sempre recorreu as unidades de saúde quando esteve doente e vendeu chips na rua Grande para pagar a sua faculdade. Duarte Júnior nunca disse, em quais escolas públicas estudou, em que bairro da periferia morava, as condições da sua moradia e seus país como trabalhadores, quais os locais em garantiam o sustento de cada dia da família. A sua invencionice foi incompleta que a ponta do rabo ficou a mostra.

Quem não se lembra da sua atitude criminosa dentro da Assembleia Legislativa de se apossar de um Projeto de Lei do deputado José Gentil para acrescentar importantes informações às carteiras de identidade. Foi totalmente desmascarado e por piedade do extinto parlamentar, ele o colocou como parceiro no projeto aprovado e transformado em lei. Como o Duarte Júnior é um doloso incorrigível, ao tornar público da Lei em outdoors chegou a excluir o nome do deputado José Gentil por cobrança fez a necessária correção, sendo que colocou o seu nome maior e do verdadeiro autor em letras menores.

Duarte Junior é tão desrespeitador, que agora nesta campanha, durante uma entrevista agrediu de maneira covarde uma jornalista em razão dela, ter feito uma pergunta a ele, por solicitação de um telespectador. A manifestação violenta de Duarte Júnior deveria merecer uma resposta com a expulsão dele do recinto, mas faltou tutano para o pessoal da TV Difusora. A jornalista agredida veio a público denunciar, até como um desabafo, mas faltou a solidariedade dos colegas. Aqui estou relatando alguns dos “valores” de um político que quer ser prefeito de São Luís. Nós não merecemos. Já pensaram: Um professor ditador no Governo do Estado e um aluno voraz e aprendiz na Prefeitura. Não podemos ludovicenses e eleitores não podemos permitir.

Por Aldir Dantas

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo