BABADO DA SEMANA

Roberto Rocha chama Flávio Dino de mentiroso

Márcio Jerry disse que o senador é preguiçoso e traidor

O deputado federal licenciado e secretário de Cidades e Desenvolvimento Urbano do Maranhão, Márcio Jerry (PCdoB) chamou o senador Roberto Rocha (sem partido) de “mentiroso, preguiçoso e traidor”. A declaração do comunista aconteceu Rocha chamar Dino de mentiroso.

“Olhando aqui um vídeo eu respondo: – Roberto Rocha, um senador mentiroso compulsivo. E além de preguiçoso que há mais de 3 décadas vive da “herança” de 4 anos. Ah, além também de um vil traidor”, afirmou Jerry.

Roberto Rocha revidou. “Flávio Dino, covarde, não responde e escala o pau de mexer merda dele para me atacar. Os comunistas são sempre assim. Não respondem a crítica, só tentam desqualificar o crítico. Sobre traição, não se preocupe, tire isso da sua cabeça, ou que você imagina que esteja. Sou casado!”.

Nas redes sociais, Rocha disse que o governador Flávio Dino é um mentiroso compulsivo ao dizer que não autorizou aumento de alíquota de imposto sobre gasolina no Maranhão e que o governo do Estado não tem poder de fixar preço de combustíveis. “Flávio Dino diz que é mentira e chama de criminosos quem o acusa de ter aumentado o ICMS dos combustíveis. Ele realmente não aumentou, mas pediu ao Confaz p/ elevar o valor de referência. Na prática, é a mesma coisa. Ou seja, o Maranhão tem um governador mentiroso compulsivo”, postou.

O senador alega que o governador Flávio Dino pediu para o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) aumentar o valor de referência do combustível, elevando a pauta fiscal que estabelece o valor mínimo que uma mercadoria pode ser vendida para o consumidor.

O governo do Estado, por meio do secretário Rogério Cafeteira, classificou de fakenews a alegação de Roberto Rocha.

“Senador, sempre que há aumento do preço de combustíveis, 15 dias depois, a Agência Nacional do Petróleo faz a pesquisa e define o preço médio de venda para consumidor final para todos os Estados da Federação. Este preço médio, definido pela pesquisa da ANP, é publicado pela União. Por força de convênio, que já tem séculos, este preço é a base de cálculo do ICMS. Não há aumento, mas atualização da base de cálculo do imposto, para que este não seja corroído pela inflação. Então, é a gasolina que aumenta e quinze dias depois a pesquisa colhe o aumento e a base de cálculo do ICMS é atualizada. O ICMS é atualizado (consequência) pelo aumento da gasolina (causa). É assim e não o contrário como você fala. É consequência e não causa. Sem FAKES NEWS”, rebateu Cafeteira.

Por John Cutrim

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo