POLÍTICA

Weverton cobra posicionamento de Brandão sobre denúncia de possível propina na Seduc

Candidato pedetista pressiona o Governador do Maranhão a se posicionar sobre um caso grave em seu governo

O senador licenciado Weverton Rocha (PDT), candidato ao Governo pela coligação Juntos Pelo Trabalho, cobrou do seu principal oponente, o governador e candidato a reeleição, Carlos Brandão (PSB), posicionamento sobre denúncias de tráfico de influência e pagamento de propina dentro da Secretaria de Estado da Educação.

A denúncia sobre o caso foi feita por Gilbson César Soares Cutrim Júnior, assassino confesso do empresário João Bosco Oliveira Sobrinho, executado no dia 19 do mês passado na área externa do edifício Teach Office, no bairro da Ponta D´Areia, em São Luís.

Segundo o acusado, ele assassinou o empresário devido ao fato de ter sido cobrado acerca da quitação de uma propina de 50% em cima de um valor de R$ 788 mil oriundo do pagamento, por parte da Seduc, de uma empresa de vigilância que estava inapta.

A liberação do dinheiro, segundo Cutrim, ocorreu graças a influência do vereador Beto Castro (Avante) dentro da Seduc.

Antes da execução, ainda na cena do crime, Bosco, Beto Castro e Gilbson Cutrim se reuniram com o advogado Daniel Itapary Brandão, secretário de Estado de Monitoramento de Ações Governamentais, membro do Conselho do Porto do Itaqui e sobrinho de Carlos Brandão.

“Ele [Brandão] que gosta de se intitular como ficha limpa, ele tem que mostrar que o seu Governo também é limpo e que não está envolvido em falcatruas. A gente espera o pronunciamento dele. Você deve satisfação, Brandão à sociedade. Talvez seja por isso que você correu, ontem, do debate lá em Imperatriz. Mas vai chegar a hora da gente conversar e você vai ter que explicar para o Maranhão o que aconteceu”, afirmou o pedetista.

Clique Aqui e veja o vídeo.

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido!!!