SENAR-MA

A viagem de São Luís a Amarante-MA

Foram quase 2 mil quilômetros rodados e uma exuberante paisagem natural

A data da viagem foi 8 de outubro de 2018. O horário de embarque foi às 10h da manhã (buscar cada profissional em sua residência). A volta foi exatamente dia 11 de outubro. Uma viagem que vai ficar marcada na mente dos 5 profissionais que fizeram parte da comitiva “Leocândida Rocha [assessora], Elenilson [motorista] [Senar], Joari Aires, Tarcísio Brandão e João Filho [jornalistas do Sistema JB10]”. Era exatamente 11h da manhã quando pegávamos a BR 135, saindo da capital maranhense com destino a região tocantina.

Primeira parada na cidade de Arari, onde almoçamos e depois seguimos viagem. Por volta das 15h chegamos à cidade de Santa Inês, abastecemos e seguimos viagem. A cada município que passávamos, uma beleza diferente, uma paisagem mais linda que a outra. Dentro do carro, a alegria tomava conta de todos, muitas histórias contadas, altas gargalhadas e é claro, o debate político não esfriava. Mas tudo no nível profissional. Por volta das 19h chegamos à cidade de Açailândia, abastecemos e continuamos com a viagem. Exatamente às 20h30 chegamos ao primeiro destino, cidade de Imperatriz.

Fomos recebidos por profissionais do Senar da região e pelo médico veterinário Cícero Soares, que além de nos levar para um jantar, ainda nos hospedou na cidade de João Lisboa, a 12 KM de Imperatriz. O dia apenas estava encerrando, e o trabalho sequer havia começado.

Após um bom descanso em João Lisboa, o relógio desperta. Eram exatamente 5h30 da manhã, hora de acordar e partir para a primeira pauta do dia. Destino era o povoado Olho D’água dos Martins, a 25 KM da sede de Imperatriz. Após tomar café e abastecer o carro, seguimos para a zona rural. Lá está localizada a fazenda 2 irmãos, que produz leite e tem assistência técnica do Senar. Para iniciar o batalho, mais um café nos esperava com pão de queijo e muito suco. Após essa tarefa, enfim demos início às gravações do documentário para Senar Maranhão. No período da tarde a pauta foi fazer imagens aéreas de pontos turísticos de Imperatriz e João Lisboa. A noite um passeio pela cidade e mais um descanso na residência do doutor Cícero Soares, que também estava hospedado na mesma casa. Deve ter ouvido muitos embates sobre política entre Joari, Tarcísio e João Filho.

No segundo dia de trabalho, exatamente na quarta-feira, dia 10 de outubro, o destino era os municípios de Buritirana e Amarante, a 100 KM de Imperatriz. Até ai estava uma maravilha. Por volta das 7h da manhã, após um café reforçado, partimos para mais três pautas. Saímos de João Lisboa, passamos pela cidade de Senador Lá Roque e chegamos ao primeiro destino, uma casa de farinha, onde o produtor e seus colaboradores foram qualificados pelo Senar com o curso de melhoramento da farinha. Lá vimos muito trabalho, dedicação e acima de tudo superação. Comemos farinha, tomamos café e fizemos a primeira gravação do dia. Um trabalho que a premiação formava um conjunto de felicidades. Naquela localidade a produção não para, homens e mulheres trabalham na produção da farinha do Mesquita, a mais conhecida da região.

Por volta das 11h chegamos ao segundo destino, zona rural de Amarante, local onde o produtor Jadilson, que segundo ele foi chamado de louco, caduco, por plantar maracujá, acerola, caju, cupuaçú e açaí, além de trabalhar com criação de peixes. Naquele lugar o Senar Maranhão também presta assistência técnica e os resultados são grandiosos. Só a produção de açaí são 12 toneladas por ano. O faturamento dar gosto ouvir o produtor rural falar. Após o trabalho debaixo de um sol escaldante, veio a melhor parte. Um almoço regrado de frango da terra e peixe, sem falar da quantidade de suco natural que tínhamos opção de escolher.

O almoço foi gostoso, mas ainda restava uma pauta e muito importante também. O local era um assentamento a 50 KM da sede do município de Amarante, estrada terra e muito complicado o acesso. Ficamos curiosos, fomos informados que lá existe uma produção de vinho, mel, doce e ameixa feita de caju. Eram 14h30 quando partimos com destino ao povoado. A viagem durou 90 minutos, mas a adrenalina foi inexplicável. Lá foi a premiação do dia, encontramos a produtora Maria Matheus, que falou da satisfação de ter feito os cursos de qualificação do Senar. Ficamos emocionados com o depoimento daquela mulher guerreira.

Na volta mais 90 minutos de pura emoção. Chegamos em Buritirana por volta das 20h, e fizemos uma parada, tomamos aquele açaí com frutas, já que ninguém é de ferro. Depois já com a barriga carregada, seguimos para João Lisboa onde passamos mais uma noite.

Ao amanhecer, era hora de arrumar as malas e agradecer ao proprietário da casa, doutor Cícero Soares, que gentilmente nos hospedou durante três noites. Mas ainda restavam duas pautas para entrar no documentário. A primeira aconteceu no Parque de Exposição Lourenço Vieira da Silva, em Imperatriz, onde o doutor Cícero Soares ministrava um curso de manejo sanitário promovido pelo Senar em parceria com o governo do Maranhão. Após concluir a penúltima pauta, partimos para a zona rural de Açailândia, fazenda Cabral, onde encerramos a última pauta desse roteiro por volta das 13h. Como missão dada é missão cumprida, precisávamos fazer o caminho de volta para São Luís.

Mas para que pudéssemos vir embora, teríamos que almoçar naquela propriedade. Uma exigência da produtora rural, que é mineira de nascimento e maranhense de coração. Nossa equipe era formada por “cinco leões bons de boca”, quem menos comia, batia um prato fundo cheio. Os demais dobravam tudo. Após o almoço partimos com destino à capital maranhense. Saímos às 14h da zona rural de Açailândia, passamos por Bom Jesus das Selvas, Buriticupu, Santa Luzia do Tide e chegamos em Santa Inês às 19h. Paramos, tomamos um café e seguimos viagem passando por Igarapé do Meio, Vitória do Mearim, Arari, Miranda do Norte, Itapecuru, Santa Rita e Bacabeira e colocamos os pés por volta das 22h45 na capital maranhense. Uma viagem inesquecível, proveitosa, riquíssima em conhecimento e claro, cheia de sonhos movidos pelo sucesso de produtores rurais assistidos pelo Senar Maranhão. Que venham outras viagens ainda melhores. Nossa equipe já está preparada para um novo embarque!

 

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close