POLÍCIA

Africanos resgatados no MA, estão alojados em Ginásio

Os africanos estavam à deriva no mar e foram resgatados por pescadores ribamarenses

Os 25 africanos e dois brasileiros que passaram 35 dias à deriva e chegaram a beber água do mar para não morrer de sede e comer apenas dois biscoitos cada um por dia, estão alojados nas dependências do Ginásio Costa Rodrigues, no centro de São Luís. A gora a Polícia Federal vai investigar o que aconteceu com os senegalês que foram resgatados na baía de São José, município de Ribamar, na grande Ilha.

O governo do Estado está dando assistência ao africanos, como reafirma Jorge Serejo, da Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Participação (Sedihpop). Uma equipe da Sedihpop foi designada pelo governo para fazer o cadastro de todos resgatados, além de possibilitar o contato com parentes em São Paulo e Rio de Janeiro. Apenas um deles, que perdeu o celular em alto-mar, não sabe o contato dos familiares no Brasil.

Muita gente tem se dirigido ao Ginásio Costa Rodrigues para fazer doação de roupas, mas a coordenação dos trabalhos informa que eles conseguiram salvar todas as bagagens. O governo do Maranhão vai fornecer alimentação para todos eles até a Polícia Federal definir o destino de cada um.

Nos últimos três dias, a situação dos africanos era bastante complicada e chegaram a ficar sem alimentação, comendo apenas biscoitos. Por conta do sal, um deles estava com pressão muito alta, mas voltou a se estabilizar após atendimento na UPA do Araçagi, para onde foram levados no início da madrugada deste domingo, após resgate.

Os dois brasileiros que comandavam o transporte dos africanos foram autuados e estão presos na carceragem da Polícia Federal (PF), em São Luís. A suspeita é de que os africanos seriam usados em atividades análogas à escravidão nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Em depoimento os brasileiros negaram, mas um deles acabou contrariando o colega, que falou tudo diferente.

Nesta segunda-feira (21), o delegado André Luís, da Polícia Federal, concederá entrevista para falar sobre o caso. Em nota, a PF diz que avalia a situação jurídica dos mesmos no país e a partir desta segunda-feira (21), iniciará os procedimentos de controle migratório no Brasil.

NOTA DA POLÍCIA FEDERAL

A Superintendência de Polícia Federal no Maranhão informa que desde ontem (19) vem realizando esforços conjuntos com o Governo do Estado do Maranhão e a Marinha do Brasil, para receber um grupo de 27 pessoas (25 estrangeiros e 2 brasileiros) resgatadas por um barco pesqueiro na costa do estado.

Preliminarmente apurou-se que os estrangeiros são oriundos da África, possivelmente de cinco nacionalidades (Senegal, Nigéria, Guiné, Serra Leoa e Cabo Verde), e desembarcaram no Cais do município de São José de Ribamar na madrugada de domingo (20), onde receberam alimentação, assistências médica, psicológica e social.

A Polícia Federal prendeu em flagrante os dois brasileiros que acompanhavam o grupo e instaurou inquérito policial para apurar possível prática de tráfico internacional de pessoas contra os estrangeiros resgatados.

A PF também avalia a situação jurídica dos mesmos no país e à partir de amanhã, segunda-feira (21), iniciará os procedimentos de controle migratório.

Entrevista/coletiva a partir das 10 horas desta segunda feira (21) com o DPF Luís André, Chefe da Delegacia de Imigração, na sede da PF, na Cohama.

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido!!!