ALCÂNTARA

Alcântara-MA: Comunidades quilombolas recebem motor de rabeta

Os equipamentos foram entregues pela Prefeitura por meio da Atequila – Associação do Território Étnico Quilombola de Alcântara e da SEAPA

Ao todo quinze comunidades alcantarenses já foram contempladas pelo Programa Maranhão Quilombola com motores de rabeta, entregues pela Prefeitura Municipal por meio da Atequila – Associação do Território Étnico Quilombola de Alcântara, e da SEAPA – Secretaria Municipal de Agricultura, Aquicultura, Pesca e Abastecimento. A entrega ocorreu na quinta-feira (24), na sede do Sindicato Rural de Alcântara.

Comunidades quilombolas de Alcântara recebem motor de rabeta

Além da coordenadora geral da Atequila, Militana Serejo – que nessa data entregou a direção da associação -, foi registrada a presença do prefeito Padre William, do vice-prefeito Nivaldo Araújo, do chefe de Gabinete, João Clímaco, dos secretários municipais de Agricultura e Pesca, Antônio Marcos Pinho Diniz; Cultura e Turismo, Jedson Coelho; Educação, Cleonice de Souza Lisboa; Meio Ambiente, Jefferson Horley; e Saúde, Adriane Fernanda Oliveira. A adjunta Vanessa, representou a secretária municipal de Desenvolvimento Social da Mulher e da Igualdade Social. Quem também marcou presença foi o diretor do departamento de Pesca e presidente do Sindicato da Colônia de Pescadores de Alcântara, Sebastião Furtado Silva.

“Todas as comunidades de Alcântara são compostas por agricultores e pescadores. Muitas não são associadas na colônia de pescadores, mas no Sindicato dos Trabalhadores Rurais, e fazem as duas funções. Então o motor de rabeta tem grande importância para essas pessoas”, destaca a presidente da Atequila, Militina Cerejo.

“Agradeço a Deus por mais um ano de vida. Mas é uma alegria maior estar participando deste momento importante para os nossos pescadores, que hoje estão sendo beneficiados com este instrumento. Nós sabemos o quanto é importante para um pai de família poder contar com um instrumento desse e o quanto é difícil alcançar um desses. Porém, através de ações governamentais aqui hoje o Município está entregando a vocês este grande instrumento para que busquem por meio dele aumentar a renda familiar”, disse o secretário de Agricultura e Pesca, Antônio Marcos, que nessa data comemorou mais um aniversário de vida.

Dentre as comunidades alcantarenses contempladas com o motor de rabeta estão Iguaíba, Ilha do Cajual, Itapera, Mamuna, Manival, Peruzinho e São João de Cortes. O chefe de Gabinete de Alcântara, João Clímaco, pontuou que os critérios que definiram quem seria contemplado foram determinados pelo programa Maranhão Quilombola. “A coordenação do programa liga para as pessoas e indicam alguém que trabalha com a pesca.”

O prefeito Padre William ressaltou mais essa conquista da administração “Construindo novos rumos” e falou da importância da conjunção de forças. “Isso aí ajuda a conjugar melhor as ações. Fico feliz que Alcântara possa participar desta modernização da pesca. Agradeço a todos os envolvidos e envolvidas nesta conquista.”

Nivaldo Araújo, vice-prefeito de Alcântara, ressaltou que os motores eram entregues para as comunidades e não para uma pessoa, e destacou que os equipamentos foram conseguidos com muita luta, garra através da Prefeitura, da Atequila em parceria com o Governo do Estado. Nivaldo pediu que o equipamento seja utilizado em benefício da comunidade. “Que ele sirva, além de tudo, para unir vocês e para melhorar a produção da pesca.”
Sebastião Furtado Silva, presidente da Colônia de Pescadores Z33 de Alcântara, recordou que a vida toda é pescador, por isso sabe o que significa ‘sair do remo’ e contar com um motor. “Você nem imagina o quanto isso é importante para o pescador artesanal. Ele vai deixar o remo e vai poder pescar em locais mais distantes. Os motores são fundamentais na vida do pescador artesanal.”

Mãe de três filhos (dois homens e uma mulher), Vanda Rodrigues, que representou a Ilha do Cajual, recebeu o motor de rabeta da comunidade. A pescadora conta que o equipamento vai promover grande mudança na rotina dos moradores e vai ajudar, principalmente, na travessia. “Nós moramos em uma ilha, por isso temos de atravessar. Vai facilitar bastante a nossa vida”.

Por Ascom/Prefeitura

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido!!!