BABADO DA SEMANA

Após vistoria, secretários e vereadores constatam descaso na Saúde de São José Ribamar

Os últimos gestores destruíram o município de São José de Ribamar, em todos os setores da gestão municipal

Durante uma reunião realizada na sede da Prefeitura de São José de Ribamar, nesta segunda-feira (11), o secretário de Saúde do Município, Eduardo Buna, apresentou um relatório da situação atual da saúde do município aos secretários e vereadores. Após a reunião, os membros do Executivo e os parlamentares formaram uma comitiva e realizaram uma vistoria no Hospital Municipal e Maternidade Municipal.

De acordo com o secretário Eduardo Buna, todos os vereadores e alguns secretários foram convocados para realizar esta visita e traçar um plano de metas emergencial, com o objetivo de trazer melhorias ao hospital e maternidade. “Muitos problemas estruturais foram constatados em todos os setores, como no telhado, rede elétrica, infiltrações, rede de oxigênio, dentre outros. O hospital e a maternidade não apresentam atrativos e base de atendimento para população. Uma comissão permanente será formada para fiscalizar e indicar melhorias para serem feitas nas unidades”, frisou.

No Hospital Municipal, a falta infraestrutura é um dos principais problemas. O telhado está comprometido com infiltrações e goteiras, o que causa alagamentos nos setores de enfermagem.

Também foi diagnosticado que cinco enfermarias estão interditadas e a unidade de saúde não possui rede de oxigênio. Quando um paciente necessita, os funcionários improvisam o atendimento com balas de oxigênio. Além disso, médicos e enfermeiros enfrentam dificuldades para descansar nos intervalos dos plantões porque não há estrutura nas salas de repouso.
Outra reclamação dos pacientes e funcionários é que uma unidade de terapia semi-intensiva foi inaugurada em gestões anteriores, mas nunca funcionou. O hospital é equipado apenas com uma ambulância, o que dificulta atendimentos de urgência.

Para a presidente da Câmara Municipal de São José de Ribamar, vereadora Francimar Jacintho (PL), a situação do hospital é delicada, mas o Legislativo estará fiscalizando para propor melhorias. “Muitos problemas foram encontrados e a unidade não está adequada para atender os pacientes com a eficiência necessária. Junto ao Executivo, vamos sugerir melhorias e fiscalizar o que será feito a partir de agora”, disse.

Na maternidade, uma ala inteira reformada recentemente não está sendo utilizada porque alaga quando chove e não há estrutura para permanência de mães em trabalho de parto. Apenas um posto de enfermagem funciona no local, sendo que a unidade possui dois postos.

Conforme o secretário Municipal de Obras, Habitação, Serviços Públicos e Urbanismo, André Cruz, um reparo emergencial será feito no telhado do hospital para evitar transtornos com o período chuvoso. “A situação é complicada e uma equipe da secretaria está realizando um levantamento para saber as necessidades emergenciais dos prédios. Faremos um reparo no telhado e em médio e longo prazo vamos estabelecer uma reforma. Nessa fase, vamos precisar de paciência da população porque o hospital não pode fechar, com isso, faremos a reforma de cada setor por vez”, relatou.

Como medida inicial, a Secretaria Municipal de Saúde vai implantar a humanização do atendimento, fazer com que os pacientes sejam atendidos da melhor forma possível e tenha seus problemas solucionados. Um plano de ação será realizado em noventa dias para solucionar as principais deficiências do Hospital e Secretaria de Saúde Municipal.

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo