SOCIAL

Aproximadamente 128 Casais dizem “sim no Maranhão

O Casamento Comunitário aconteceu em São Bento, Palmeirândia e Bacurituba-MA

A Comarca de São Bento, realizou três cerimônias de casamentos comunitários nesta quarta (28) e quinta-feira (29), nos Termos Judiciários de Bacurituba e Palmeirândia e na sede da comarca de São Bento, totalizando 128 uniões civis. A cerimônia foi presidida pelo juiz titular da Comarca, Ivis Monteiro Costa, e contou com a participação dos juízes Francisco Bezerra Simões, titular da Comarca de São Vicente Férrer; Michelle Amorim Sancho Souza, titular de Bequimão; Huggo Alves Albarelli Ferreira, titular de Olinda Nova do Maranhão; e José de Ribamar Dias Júnior, titular de São João Batista; além da Promotora Titular da Comarca de São Bento, Laura Amélia Barbosa, prefeitos, vereadores e representantes religiosos.

Em Bacurituba, a cerimônia aconteceu na quarta-feira (28), no Ginásio de Esportes local e contou com a presença de 18 casais que disseram “sim” perante os juízes Ives Monteiro e Francisco Bezerra Simões (S. Vicente Férrer). Também participaram a Promotora de Justiça Laura Barbosa, o prefeito do município, José Sisto Ribeiro Silva e outras autoridades. O evento ganhou decoração especial e tapete vermelho para a entrada e saída dos casais. Segundo a noiva Irene dos Santos Pereira (64), que casou-se com o sr. Manoel Santa Rita Nascimento (84), eles já viviam juntos há 44 anos e o projeto, por ser gratuito, ofereceu a oportunidade de unir os dois sem custos. ” Sem essa oportunidade, não teríamos condições de arcar com as despesas”, enfatizou.

Em Palmeirândia, o casamento também foi realizado no Ginásio de Esportes da cidade, com a formalização da união civil de 41 casais. A cerimônia ainda contou com a presença de aproximadamente 150 pessoas, dentre padrinhos e convidados. Concretizaram a cerimônia o juiz Ivis Monteiro, titular de S. Bento, juiz Huggo Albarelli Ferreira (Olinda Nova), José Ribamar Dias Júnior (S. João Batista) e Michelle Amorim (Bequimão). Logo após a consagração, foi servido o bolo especial de casamento aos noivos e convidados. Robson Carlos de Castro Costa (23) disse que o projeto é maravilhoso. “Estamos felizes, eu e minha esposa, porque tivemos a oportunidade de nos unir, oficialmente e sem pagar nada”, frizou.

São Bento foi o último município a realizar a cerimônia do Casamento Comunitário, na noite desta quinta-feira (29), reunindo 69 casais na praça Carlos Reis, no centro. Após a entrega das certidões, em virtude de uma forte chuva na cidade, os casais se dirigiram à Escola Mota Júnior para dar início à celebração da união, que foi realizada pelo juiz titular da Comarca, Ives Monteiro, pelo juiz Francisco Bezerra Simões (S. Vicente Férrer) e pelo juiz José Ribamar Dias Júnior (S. João Batista).

A Promotora da Comarca de São Bento elogiou a Corregedoria pelo Projeto, que segundo ela, só vem a aproximar o cidadão do Judiciário, “É a comunidade tendo um momento único de união dos casais de forma digna, gratuita e celebrada por juízes de direito, um grande feito para a comunidade”, observou.

O juiz titular da Comarca, Ivis Monteiro Costa, agradeceu a Corregedoria Geral da Justiça pela iniciativa e pelo apoio; aos prefeitos e autoridades municipais pela colaboração; e aos magistrados, que se deslocaram de suas comarcas para estarem presentes nas três celebrações. Por fim, ele disse que é de suma importância essa aproximação do judiciário com a sociedade por meio de atividades sociais, especificamente o casamento comunitário, que visa regularizar a situação civil desses casais que já convivem há muitos anos juntos. “Estou muito feliz, é um momento de imensa alegria por promover esse evento, ainda mais porque há 17 anos não acontecia Casamento Comunitário em São Bento e em Bacurituba foi o primeiro a ser realizado”, finalizou.

PROJETO – O “Casamentos Comunitários” foi instituído pelo Poder Judiciário maranhense em 1998, idealizado pelo desembargador Jorge Rachid. O procedimento está disposto no Provimento N° 10/2013, da Corregedoria Geral da Justiça (CGJ-MA), sendo os atos gratuitos. A gratuidade inclui a expedição de 2ª via do assento de nascimento ou casamento, se necessário. A Corregedoria Geral da Justiça disponibiliza apoio logístico aos magistrados para concretização do Projeto, especialmente junto aos cartórios.

Por Vandoval Rodrigues

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close