JUSTIÇA

Assassinato de Juninho Costa cai no esquecimento da Polícia Civil

A vida do locutor esportivo morto em setembro de 2020 parece ter pouca importância para a justiça

Seis meses após o assassinato do narrador esportivo Juninho Costa, a Polícia Civil continua sem fazer ideia do paradeiro dos assassinos. O jovem de 27 teve sua vida ceifada de forma brutal, tendo sua cabeça esmagada com uma pedra de concreto, na noite de um domingo, dia 06 de setembro, na rua da Cerâmica, no bairro João de Deus. Por ser muito querido no complexo de bairros do João de Deus, o assassinato deixou a população extremamente chocada.

Só após 30 dias do assassinato, a Superintendência de Homicídio e Proteção a Pessoa (SHPP), por meio da Polícia Civil, teve acesso a imagens de câmeras de videomonitoramento de empresas da região. O ângulo das câmeras é incompatível com o local do assassinato, o que tornou impossível a identificação de qualquer pessoa.

Além disso, a Polícia intimou também pessoas que estiveram com a vítima horas antes do assassinato. Mas até agora a fraca investigação não apontou nenhum suspeito da morte do Juninho Costa.

Antes de publicar esta nota, o G7 entrou em contato com a Polícia Civil do Maranhão, por vários meios, dentre eles o direct do Instagram, porém não teve nenhuma resposta.

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo