BEQUIMÃO

Saúde de Bequimão é referência no MA, segundo Defensor Público

Defensor público cita Bequimão como referência na atenção básica, em entrevista à Rádio Mirante AM

“Nós temos no Maranhão, na Baixada Maranhense, na área mais pobre do Estado, municípios de 20 mil habitantes que podem nos dar uma aula de atenção básica. Bequimão tem um dos melhores serviços de atenção básica do Maranhão”. A afirmação é do defensor público, Davi Rafael Silva Veras, que faz parte do Núcleo da Criança e Adolescente no Maranhão. Ele concedeu entrevista, nesta quinta-feira (25), ao radialista Roberto Fernandes, no programa Ponto Final, da Rádio Mirante AM. OUÇA O ÁUDIO DA ENTREVISTA ABAIXO…

De acordo com o defensor público, o que faz de Bequimão uma referência em atenção básica é o investimento na intervenção preventiva, com destaque para o trabalho nos postos de saúde, a atuação dos agentes comunitários de saúde, o pré-natal adequado e todo o sistema de prevenção. Com esses cuidados, os indicadores de saúde no município melhoraram.

O trabalho em Bequimão é tão bem feito na atenção básica que o Hospital da Criança, em São Luís, há anos não recebe pacientes transferidos do município. “Se você perguntar para o gestor do Hospital da Criança de São Luís: você recebe criança grave de Bequimão? Ele responde: nunca, não lembro. Se já recebemos, faz tempo”, enfatizou.

A priorização das medidas preventivas passou a ocorrer a partir de 2013, quando o prefeito Zé Martins tomou a decisão de reestruturar a Estratégia Saúde da Família. A inauguração e manutenção do Hospital Lídia Martins, de 14 leitos, também são fatores que contribuem para uma atenção básica mais eficiente no município.

Dados do Maranhão

O defensor público Davi Veras levantou essas informações no decorrer da elaboração do projeto “Todos pela atenção básica”, que tem como foco principal a saúde infantil. Segundo dados do IBGE, citados na entrevista, o Maranhão tem a segunda maior taxa de mortalidade de crianças de zero a um ano (são 20 mortes a cada 1.000 nascidos). Essa taxa melhorou a partir de 2014, mas ainda está acima da média nacional (12 óbitos a cada 1.000 nascidos).

“Grande parte das mortes é consequência de vários erros na assistência primária”, ressaltou o defensor público. Com o projeto “Todos pela atenção básica”, a Defensoria Pública do Maranhão busca intervir nessa situação não apenas pela via da judicialização, mas contribuindo para que a prevenção seja tomada como protagonista no sistema de saúde.

Por G7

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo