MEIO AMBIENTE

BEQUIMÃO-MA: Quilombolas fecham MA-211 em protesto as invasões de terra

Um dos acisados de invadir o território quilombola é o dono da EPENG, empresa que constrói a ponte Central/Bequimão

A rodovia MA-211 que liga Bequimão ao município de Central do Maranhão pela ponte sobre o Rio Pericumã foi bloqueada na manhã desta quarta-feira (11) pelos quilombolas que residem nas comunidades da região. O bloqueio foi feito na altura do quilombo Ramal do Quindiua, na zona rural de Bequimão.

Pode ser uma imagem de uma ou mais pessoas, pessoas em pé, árvore e estrada

De acordo com os representantes do Movimento Quilombola de Bequimão (MoqBeq), os quilombolas estão exigindo seus direitos que foram desrespeitados, além de ser uma situação decorrente de varias irregularidades cometidas pelo Governo do Maranhão e pela empresa EPENG desde o início da obra de construção da ponte Bequimão/Central em setembro de 2016.

Segundo os quilombolas, o Estado sabe que a região se trata de um território quilombola e iniciou uma obra sem consultar os direitos dos quilombolas que são garantidos. De acordo com relatos, os quilombolas nunca viram o licenciamento quilombola onde constaria as mitigações dos impactos socioambientais e nem as devidas compensações socioambientais as quais as comunidades têm direito.

Pode ser uma imagem de uma ou mais pessoas, pessoas em pé, motocicleta, estrada e árvore

“O maior impacto que estamos tendo sobre o território é a situação de compra e venda, pois com a construção da ponte e da estrada que vai ligar Bequimão a nove municípios do Litoral Ocidental Maranhense, empresários estão de olho em nossas terras para seus empreendimentos. Um exemplo é o próprio dono da empresa EPENG, Francisco Antelius Sérvulo Vaz, que já teria invadido o território dos quilombos Ramal do Quindiua e Santa Rita, além de comprar terras dentro do território no quilombo Mafra, onde está desmatando, cometendo crimes ambientais graves”, descreveu um representante do MoqBeq.

Pode ser uma imagem de árvore e ao ar livre

 Indignados com a situação, os quilombolas resolveram protestar com a falta de respeito do governo do Estado com povo quilombola de Bequimão. “Não descansaremos um só minuto enquanto nossos direitos não forem respeitados”, finalizou uma liderança quilombola.

GOVERNO FLÁVIO DINO VIRA AS COSTAS PARA OS QUILOMBOLAS

Segundo o G7 foi informado, foi encaminhado na semana passada um ofício para os órgãos do governo do estado (ITERMA, SEIR, SEMA e SEDIHPOP), convocando-os para uma reunião na comunidade do Ramal do Quindiua, com o objetivo de solucionar os problemas de desmatamento e venda de terras que está acontecendo dentro do território. Além dos acordos feito entre o Governo do Estado e as comunidades. Os órgãos citados acima seque se manifestaram obre o assunto.

O não comparecimento dos órgãos na reunião, representantes das comunidades Quilombolas juntamente com o MoqBeq, tomaram a decisão de realizar o bloqueio da MA 211 esta terça-feira (11) por tempo indeterminado.

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo