JUSTIÇA

Bolsonaro e Ministros cometem crime de preconceito contra mulheres

O MPF processa União por falas preconceituosas de Bolsonaro e ministros contra mulheres

O MPF entrou na Justiça Federal em São Paulo com uma ação inédita contra a União: a motivação do processo é uma série de falas preconceituosas de Jair Bolsonaro e de alguns de seus ministros em relação às mulheres.

O MPF entende que tais declarações reforçam estereótipos e estimulam a violência. O objetivo da ação, segundo os procuradores, é para que a União seja “obrigada a promover campanhas de conscientização sobre os direitos das mulheres, como forma de reparação dos danos sociais e morais coletivos causados pelas atitudes de Bolsonaro e seus auxiliares”.

Na ação, o MPF peque a o Judiciário bloqueie R$ 10 milhões do Orçamento para campanhas de conscientização e que a União seja condenada a patar R$ 5 milhões ao fundo de direitos difusos, a título de indenização.

Entre as declarações de Bolsonaro elencadas no processo, está essa:

“Quem quiser vir aqui fazer sexo com mulher, que fique à vontade”, referindo-se ao turista internacional e se declarando contra o turismo gay.

De ministros, aparecem frases ditas, por exemplo, por Damares Alves:

— A mulher deve ser submissa. Dentro da doutrina cristã, sim. Dentro da doutrina cristã, lá dentro da Igreja, nós entendemos que um casamento entre homem e mulher, o homem é o líder do casamento.

Por Lauro Jardim (O GLOBO)

Tags

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar