ARTIGO

Com ICMS dos combustíveis e do gás, Flávio Dino retira migalhas para pobres maranhenses

O governador do Maranhão usa o alto imposto para fazer política dando esmolas aos pobres vulneráveis

Sabe aquela frase popular: Dar com uma mão e toma com as duas?. É justamente isso que o governador do Maranhão faz ao cobrar altíssimos impostos dos combustíveis e gás de cozinha. Para tentar publicizar ao povo que é solidário, criou o programa Cartão Vale Gás, onde entrega R$119,00 para famílias pobres em situação de vulnerabilidade social.

Ao invés de baixar os impostos e facilitar para todos os maranhenses, criando oportunidades, o que geraria trabalho e renda para muita gente, Flávio Dino prefere fazer a política do assistencialismo, lascando com muitos maranhenses, para dizer que está fazendo uma política social ao ajudar poucas famílias com esmolas que ele chama de programas sociais.

Em 7 anos de gestão do comunista disfarçado, o Maranhão está descendo ladeira abaixo na saúde, infraestrutura, agricultura, educação e saneamento básico, o que faz do estado cada vez mais pobre. Durante sua gestão, Flávio Dino achou que entregar sementes sem dar assistência técnica aos agricultores é investir na agricultura familiar. O Maranhão retrocedeu, o povo está mais pobre, enquanto o governo usa a máquina pública para tentar eleger secretário a deputado em 2022.

Sem planejamento, o governador apenas fez publicidade enganosa, derramou dinheiro público para mostrar metros de asfalto sonrizal, que só chega às ruas maranhenses um ano antes de eleições. Uma tática usado por políticos brasileiros e que Dino trilhou o mesmo caminho desde o início de seu governo.

Enquanto Flávio Dino planeja chegar ao Senado Federal, muitos maranhenses continuam desalentados, sem direção e sem saber o que vão comer no dia seguinte. Esse é o Maranhão que Flávio Dino sonhou ao berrar nos palanques, que Sarney, hoje professor dinista, deveria sair do poder.

O Maranhão pode viver sem José Sarney, Flávio Dino Não!

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo