CURSOS

Estácio e Abraço encerram curso de capacitação para radialistas

O curso teve duração de oito semanas e é resultado de uma parceria entre a Estácio e Abraço

A quinta turma do Curso de Extensão para Rádios Comunitárias, ofertado pela Faculdade Estácio, encerrou neste sábado, dia 23 de junho com a entrega dos certificados aos participantes.

Durante a cerimônia de finalização, o professor Paulo Pellegrini, instrutor do curso, parabenizou os participantes e reafirmou o compromisso da Estácio de dar sequência à capacitação com novas turmas.

Desde 2016 a Estácio oferta o Curso de Extensão para comunicadores de emissoras comunitárias, em parceria com a Abraço (Associação Brasileira de Rádios Comunitárias) no Maranhão, visando melhorar o desempenho dos radialistas na programação.

A capacitação tem disciplinas sobre história e legislação das emissoras comunitárias, técnicas de redação, locução e interpretação, roteiro e criação para programas de rádio, com aulas teóricas e práticas.

No encerramento do curso houve um bate papo sobre a situação das rádios comunitárias, principalmente no que diz respeito aos projetos em tramitação no Congresso Nacional que têm o objetivo de ampliar a potência das emissoras para até 300 watts (atualmente é de 25 watts) e o número de frequências.

As rádios comunitárias são regidas pela Lei 9.612/98, que completou 20 anos em fevereiro de 2018 e nunca foi modificada, embora tenha várias iniciativas de parlamentares visando alterar a legislação com o objetivo de dotar as emissoras de melhores condições de funcionamento, abrangência e sustentabilidade.

Os participantes do curso questionaram a direção da Abraço Maranhão sobre os outros projetos de lei que tramitam no Congresso.

Para o radialista e jornalista João Filho, que participou da qualificação, o curso insere mais conhecimento aos colaboradores das emissoras comunitárias. “Fazer rádio detém paixão, mas é importante ter conhecimento técnico, teórico e prático. A rádio é comunitária, mas o profissional precisa se preocupar com o conhecimento. Eu trabalhei pela primeira vez em uma comunitária e graças a Deus ingressei no rádio comercial, mas devo ao rádio comunitário. É claro que busquei conhecimento e isso me deu suporte para trabalhar em emissoras comerciais”, destacou o profissional que hoje é colaborador da Rádio Bequimão FM.

No encerramento do curso houve um bate papo sobre a situação das rádios comunitárias, principalmente no que diz respeito aos projetos em tramitação no Congresso Nacional que têm o objetivo de ampliar a potência das emissoras para até 300 watts (atualmente é de 25 watts) e o número de frequências.

Por Ed Wilson Araújo

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close