TEATRO

Filme estrelado por Paulinha Lobão faz estreia no Festival Guarnicê de Cinema

A radialista, cantora, apresentadora e jornalista vai fazer sua estreia na telona do cinema, como filme Aurora

O Filme Aurora – O Encontro dos Polos, dirigido pelo cineasta Luís Mário Oliveira, será exibido nesta terça-feira, dia 18, às 16h, no Teatro Alcione Nazaré, fazendo sua estreia no Festival Guarnicê de Cinema que está em sua 42ª edição e vai movimentar o Centro Histórico de São Luís, de 14 a 21 de junho.

Protagonizado pela atriz estreante, Paulinha Lobão (Aurora, mulher mística, solidária e bela), e pelos atores Antônio Garcia (Feitosa, fazendeiro excêntrico e cheio de vicissitudes, marido de Aurora), Luís Mário Oliveira (Alcides, o sábio acendedor de lampiões) e Fábio Lima (Inácio, leiteiro bom e rude), Iná-Dinda Maranhão (Feirante e Parteira), Anastácio (João Batista do Lago (Pedra), Diana – Letícia Araújo (Irmã de João), Nazaré – Fátima de Franco (Freira), Adão-Carl Pinheiro (Doido), Téta – Adaílton Silva (Afilhado de Alcides), João – André Luís (Dono do Bar), Joca – André Gerudy (Capataz de Feitosa), Terezinha – Joelma Cardoso (Neta de Iná), Gabriel – Artur Rodrigues Oliveira (Anjo), Severa – Elza Gonçalves (Mendiga), Rosa – Joelma Maestrini (Mulher de Inácio) e Severino – Márcio Sibalde (Capataz de Feitosa). O filme teve sua estreia nos cinemas no dia 20 de novembro do ano passado, lotando as duas sessões do Kinoplex do Golden Shopping.

Aurora – O Encontro dos Polos contou com uma super produção, com locação realizada na cidade de Primeira Cruz (MA). O filme, entre suas especificidades, tem trilha sonora original, assinada pelo irmão de Paulinha, Maestro Rênio Quintas.

O enredo do filme traz a convivência com as mais extremas adversidades em ambiente único, circundado pela fé, na presença forte da igreja, tradições populares, a elite, a pobreza, a atmosfera rural, as diferenças e afinidades entre tais existências revelam o que sugere o subtítulo da obra, o encontro dos polos (riqueza e pobreza, bem e mal, vida e morte e outros antagônicos).

A direção de fotografia assinada Fernando Trevisolli, traz um ritmo natural do lugar que comungam com o roteiro dessa obra audiovisual inspirado a partir de personagens encontrados nos poemas “A morte do leiteiro”, de Carlos Drummond de Andrade, “O acendedor de lampiões”, de Jorge de Lima e “O encontro dos polos”, de Nauro Machado, este último, como pano de fundo existencial de toda a narrativa.

E MAIS

O 42º Festival Guarnicê de Cinema visa difundir as produções audiovisuais e promover o intercâmbio entre realizadores de países ibero-americanos e de língua portuguesa. O evento se constitui de mostras competitivas, mostras especiais não competitivas e ações formativas. As mostras competitivas contemplam filmes de curtíssima-metragem, curta-metragem, longa-metragem, Videoclipe, Reportagem televisiva e Filme publicitário no formato digital, sobre qualquer tema e que tenham sido finalizados a partir de outubro de 2017.

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close