SÉRIE A

Flamengo perde para o Ceará no Maracanã

O time perde segundo jogo seguido, e Diego cobra atitude: 'tem que falar menos e jogar mais'

Após a segunda derrota consecutiva do Flamengo, o meia Diego foi quem deu explicações sobre o momento vivido pelo clube. O camisa 10 cobrou uma mudança na postura dos jogadores, afirmando ser necessário “falar menos e jogar muito mais”.

— Primeiro de tudo temos que assumir a responsabilidade, entender o que está sob nosso controle. A disputa do título se conquista jogo a jogo, com atitude. Não temos demonstrado isso, essa constância que faz toda a diferença. Estou totalmente decepcionado. Não entramos com a atitude que deveríamos. É preciso ponto de reflexão, bater no peito, nada do externo pode nos influenciar se não fizermos o nosso dentro de campo. Nosso pensamento é esse. É falar menos e jogar muito mais — afirmou Diego Ribas, capitão do Fla, à TV Globo.

Jorge Jesus: técnico não descarta volta ao Fla no futuro, mas sonha treinar a seleção brasileira

Além de distanciar o clube da briga pelo título brasileiro, a derrota por 2 a 0 para o Ceará neste domingo, no Maracanã, colocou mais lenha na situação de sobre Rogério Ceni. Pela 30ª rodada do Brasileirão, o rubro-negro enfrenta o Goiás na próxima segunda-feira, dia 18, no Estádio da Serrinha, em Goiânia, às 20h.

Mudanças no time

Antes mesmo de a bola rolar, as mudanças na escalação do Flamengo se tornaram um refletor voltado para Rogério Ceni. Não tinha meio termo: daria muito certo ou seria um desastre. Ao optar por deixar de fora Gabigol e os jovens Natan e Hugo Neneca, o treinador só aumentou a insatisfação que gira em torno de seu nome.

Bastidores:Como a política do Flamengo interfere em fim de temporada do futebol

Ceni tem argumentos e justificativas para as suas escolhas, mas a realidade é que nenhuma das ideias funcionou — não apenas pelas entradas de César, Gustavo Henrique e Pedro como titulares, mas por em momento nenhum o rubro-negro mostrar que aspira algo neste Brasileiro. Espera-se o mínimo de evolução e desempenho de uma equipe que está tendo semanas livres para treinar, mas nada disso foi visto no Maracanã.

Marcelo Barreto:já digeriu a derrota no último Fla-Flu?

Desde o minuto inicial, a impressão era de que quem jogava em casa era o Ceará. O Flamengo teve a bola, mas a lentidão o fazia ser facilmente marcado. A baixa intensidade também deixava espaços facilmente aproveitados pelo Ceará. Assim nasceu o gol de Vina: de um lançamento para Léo Chú, que teve tempo de carregar e driblar antes de cruzar para o meio-campista, livre da entrada da área, encher o pé.

Questionamentos

Para não dizer que não houve nada positivo, a entrada de Diego Ribas melhorou o Flamengo, mas até isso colocou em xeque as escolhas de Ceni. Se Gustavo Henrique mereceu ser titular, por que tirá-lo no intervalo? Se Gabigol não tinha condições de atuar, por que demorou tanto colocá-lo no lugar de qualquer um dos atacantes que faziam péssimo jogo? O Rubro-Negro só pressionou quando Guto Ferreira recuou a equipe cearense.

No fim, o contra-ataque definiu a partida. Kelvyn recebeu lançamento e finalizou cruzado para fazer o 2 a 0. Em falha de César, outro escolhido por Rogério Ceni.

Por O Globo

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo