MARANHÃO

Governador Carlos Brandão prorroga intervenção da Servi Porto por mais 6 meses

A empresa foi tomada a força pelo ex-governador Flávio Dino, que já havia feito o mesmo com outros empresários

O governo do Maranhão, por meio de novo decreto, prorrogou, mais uma vez, a intervenção na empresa Servi Porto Serviços Portuários Ltda (Servi-Porto), que opera no Sistema de Transporte Aquaviário do Maranhão da Ponta da Espera ao porto de Cujupe em Alcântara. Essa é quarta prorrogação de intervenção na empresa, que passou a ser sucateada pela MOB.

A intervenção na Servi Porto teve início em dezembro de 2020 e foi continuada por 4 decretos de prorrogação no governo Flávio Dino e no governo Brandão. Agora, em seu 5º decreto de prorrogação, o governo pretende manter a intervenção na empresa até o 1 de junho de 2023, quando se finda o prazo dos 180 dias (6 meses).

Segundo o decreto do governo Carlos Brandão, durante a intervenção poderão ser utilizados recursos do Poder Executivo, autorizado pela lei nº 11.525 de 18 de agosto de 2021, para recuperação das 02 embarcações da empresa: cidade de Tutóia e Baía de São José, que foram sucateadas após administração da MOB. Existe a necessidade do governo assegurar o restabelecimento e a manutenção da prestação adequada do serviço concedido e recuperar as embarcações jogadas na areia há meses.

REAJUSTE DOS PREÇOS DAS PASSAGENS

Recentemente, o governador Carlos Brandão alterou a tabela de preços das passagens da travessia entre Ponta da Madeira, em São Luís e o Porto do Cujupe, em Alcântara. Apesar de reduzir o valor da tarifa para os usuários sem carros, o governo através da portaria Nº 477/2022 aumentou em 30% e 50% os valores pagos por veículos  que utilizam o serviço de ferryboat, o que tem gerado protestos de diversas pessoas e crítica do deputado Yglésio Moysés, que já acionou a justiça para acabar com esse assalto e reduzir o valor de uma taxa de 30% e 50% cobrada na compra antecipada de passagem.

Por Folha do Maranhão

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo