MARANHÃO

Manifestação vai acontecer hoje em frente hospital Macro Regional de Pinheiro-MA acusado de negligência e omissão

Familiares de Sandro Aymoré denunciam diretores e médicos do hospital e culpam os profissionais pela morte do parente

A saúde pública no estado do Maranhão está internada em estado grave na UTI, principalmente a gerida pelo governo do Estado. Em Pinheiro, na Baixada Maranhense, o hospital Regional Dr Jackson Lago, o famoso Macro Regional, que por ser de alta complexidade e que deveria prestar um bom serviço, vive momentos de desespero, além de abrigar profissionais sem compromisso com a saúde e muito menos com a população que precisa de atendimento, segundo denúncia da família de um paciente.

ENTENDA O CASO

No último dia 11 de novembro de 2022, um homem identificado por Sandro Aymoré Ribeiro Ferreira, natural de Pinheiro – Maranhão, estava realizando um serviço de pedreiro, quando se acidentou ao cair de uma altura de 3 (três) metros. Após esse fato, Sandro deu entrada no hospital municipal Antenor Abreu, (administrado pela Prefeitura de Pinheiro), que por falta de estrutura, sem médicos e medicamentos, encaminhou o paciente para hospital Macro Regional da Baixada Maranhense Dr Jackson Lago. Até aí, tudo certo, mas ao chegar ao Macro Regional, o sofrimento teria sido ainda maior para Sandro e seus familiares.

Segundo familiares do paciente, a direção do hospital e médicos, teriam negligenciado atendimento, além de negarem diversos procedimentos. De acordo com familiares de Sandro, o sofrimento foi ainda maior com a falta de informação adequada para os familiares sobre o estado de saúde de Sandro, atendimento precário,  falta de atenção e muito, mas muito descaso, segundo relato.

De acordo com a família, os parentes só tomaram conhecimento do quadro real de Sandro, quando a situação do paciente já era irreversível e muito tarde para tomar outras medidas que pudessem salvar a vida de Sandro, segundo relato da irmã de Sandro.

SOFRIMENTO DIÁRIO NO HOSPITAL

Segundo a família, durante a estadia hospitalar, a equipe médica omitiu diversas informações e impediu a visita dos parentes. “Por último, em seu leito de morte, seu sobrinho João Pedro, encontrou o paciente em estado terminal, de modo, que só foi informado que Sandro tinha contraído bactérias, na hora da comunicação do óbito”, descreveu um parente de Sandro.

Ao denunciar o descaso, a família de Sandro diz que quando o parente estava sendo velado, saíram diversas larvas pelo ouvido e nariz do defunto (Veja o video clicando AQUI), fato que chamou a atenção dos funcionários da funerária, e que, aterrorizou ainda mais a família da vítima, criando a desconfiança de que ele já havia morrido há dias. Caso precisa ser investigado pela Polícia Civil e Ministério Público.

Diante da gravidade dos fatos e de tudo que está acontecendo dentro do hospital, familiares, amigos e pessoas de outras famílias vítimas, estarão fazendo uma manifestação na frente do hospital nesta sexta-feira (2) a tarde e pedindo que outras pessoas, não passem pelos mesmos sofrimento que a família de Sandro está passando, além de pedir às autoridades que tomem providências e façam justiça.

Familiares afirmam que já estão procurando a justiça e vão acionar a direção e os médicos do hospital Macro Regional que estavam de plantão nesse periodo.

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo