NOTÍCIAS

Morre Luiz Phelipe Andrés: O mineiro apaixonado por São Luís-MA

Ele foi o responsável pela revitalização do Centro Histórico da capital maranhense

Morreu na noite deste sábado (4), em São Luís, o engenheiro civil e professor Luiz Phelipe Andrés, aos 72 anos. A causa da morte ainda não foi divulgada. Ele era gestor do Estaleiro Escola, que pertence ao Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA).

Luiz Phelipe era natural de Minas Gerais, mas vivia no Maranhão desde 1977. Em 2013, virou membro da cadeira número 23 da Casa Antônio Lobo, da Academia Maranhense de Letras (AML).

Mestre em Desenvolvimento Urbano, Luiz Phelipe Andrés foi um dos responsáveis pelo título de São Luís como Patrimônio Mundial. Também foi o coordenador do projeto de Revitalização do Centro Histórico de São Luís (Projeto Praia Grande/Reviver), e o relator do dossiê do Complexo Cultural do Bumba-meu-boi como Patrimônio Brasileiro pelo Iphan.

Foi idealizador e coordenador do Estaleiro Escola, projeto fundamental para a formação de aprendizes na tradição da construção naval em nosso Estado.

A prefeitura de São Luís emitiu nota de pesar. Nas suas redes sociais, o governador Flávio Dino, o  prefeito Eduardo Braide e outras autoridades lamentaram a morte de Luiz Phelipe.

SAIBA QUEM ERA LUIZ PHELIPE ANDRÉS

Nasceu a 20 de fevereiro de 1949 em Juiz de Fora-MG, filho do médico Alberto Andrès Júnior e da escritora Cordélia de Carvalho Castro Andrès. Estudou na sua cidade natal no Colégio dos Jesuítas, graduado em Engenharia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1972) e mestre em Desenvolvimento Urbano pela Universidade Federal de Pernambuco (2006).

No Rio de Janeiro estudou artes plásticas com Ivan Serpa, no Centro de Pesquisa de Arte. Foi ilustrador de livros de ciências do 1º grau para a Companhia Editora Nacional, atuou como artista gráfico para a Revista Engenharia Sanitária nos anos 1974 a 1976 (capas e ilustrações) e realizou trabalhos de artes gráficas para a Secretaria de Divulgação do antigo Banco Nacional de Habitação.

Desde março de 1977 radicou-se no Maranhão, dedicando-se exclusivamente às atividades na área cultural, notadamente como um dos fundadores do Programa de Preservação e Revitalização do Centro Histórico de São Luís, do qual foi coordenador por mais de 27 anos. Autor do projeto de pesquisas sobre as Embarcações do Maranhão e criador do Estaleiro Escola do Sítio Tamancão.
No período de 1993-95 foi Secretário de Estado da Cultura do Maranhão e desde 2010 é Conselheiro do Conselho Consultivo do IPHAN-Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, como representante da sociedade civil. É diretor do Centro Vocacional Tecnológico Estaleiro-Escola, professor da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas de São Luís do Maranhão e do Curso de Arquitetura da Universidade Dom Bosco, atuando principalmente nos seguintes temas: história, patrimônio cultural, tombamento, monumento nacional, construção naval artesanal.
Coordenador da pesquisa para edição do livro Monumentos históricos do Maranhão, editado em 1979 pelo Serviço de Obras Gráficas do Estado – SIOGE, contendo o primeiro inventário dos principais monumentos arquitetônicos e da arte sacra de São Luís, Alcântara e Rosário.
Responsável pelo Setor de Pesquisa e Documentação do Programa de Preservação e Revitalização do Centro Histórico de São Luís/Projeto Praia Grande, onde descobriu 166 exemplares remanescentes da Coleção dos Livros da Câmara de São Luís dos séculos XVII, XVIII e XIX. Idealizador e coordenador do Projeto de Restauração e Transcrição Paleográfica desses livros, financiado pelo CNPq.
Foi Coordenador Geral do Programa de Preservação do Centro Histórico de São Luís, Membro do Conselho Estadual de Cultura do Maranhão e Coordenador Geral do Patrimônio Cultural da Secretaria de Estado da Cultura do Maranhão.
Estagiário no Centre d’Etudes Superieures d’Histoire et Conservation des Monuments Anciens, Paris. Coordenador da Unidade Executora Estadual-UEE do Programa BID/PRODETUR do Maranhão. Coordenador Geral do Projeto São Luís – Patrimônio Mundial para preparação e apresentação do Dossiê à UNESCO com propósito de obtenção do título. Responsável técnico que assina os originais do referido dossiê que se encontra arquivado nos anais do Comitê do Patrimônio Mundial na sede da Unesco em Paris.
Membro da Academia Maranhense de Letras.
Com informações Joaquim Nagib Haickel
Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido!!!