MEIO AMBIENTE

Movimento Mangue Sem Lixo vai muito além da catação de dejetos nos manguezais

Amigos e voluntário destas quatro entidades se reúnem uma vez por mês para fazer a catação do lixo na área e o replantio da vegetação

Um movimento que vem surgindo no município de Paço do Lumiar, mais especificamente em Mojó, povoado habitado por pescadores, marisqueiras e agricultores rurais, está dando o que falar. O “Movimento Mangue Sem Lixo” é uma iniciativa de três entidades, da Organização Não-Governamental (ONG) Arte-Mojó, fundadora do movimento, do Sítio Jibóia, da Associação Ambiental Orla Viva e da Quinta do Azulejador.

Eles se reúnem voluntariamente para limpar trechos do mangue que são bastante afetados pelo lixo, causando o desmatamento da vegetação. Amigos e voluntário destas quatro entidades se reúnem uma vez por mês para fazer a catação do lixo na área e o replantio da vegetação, além de pensarem coletivamente o rumo que irão tomar para uma aplicação real de políticas públicas para a questão ambiental e, principalmente, dos manguezais.

Um trabalho de extrema importância para o bioma marítimo, apesar da falta de apoio das entidades públicas e, praticamente, nenhuma da iniciativa privada. Um desses rumos discutidos pelo grupo e solucionado com a parceria com a Cooperativa de Materiais Reciclagem do Paço do Lumiar (Coopcare), está o próprio destino do lixo retirado dos mangues, já que a prefeitura do município, que recolhe os dejetos, não estava dando o destino correto para ele.

SEMINÁRIO

Os voluntários também já estão elaborando um Seminário sobre o tema, para alimentar o debate público sobre as questões ambientais dos manguezais, o destino do lixo, a limpeza das praias e a proteção dos rios. Parece cliché, mas eles estão obstinados em ter resultados, o que o planeta e a próxima geração agradece.

No mês de agosto, na primeira catação após a pandemia, foram retirados 400 quilos de resíduos sólidos desta mesma área, que recebeu, na segunda ação, realizada no mês setembro, sua vegetação de volta com o replantio da vegetação e retirada de mais 200 quilos de resíduos sólidos. O replantio das sementes está sendo acelerado para que o processo seja mais rápido para que a área receba sua vegetação de volta antes que o lixo tome de conta novamente.

No próximo dia 31 deste mês de outubro, eles voltam a tirar o lixo desta área do mangue, afetada pelo excesso do lixo e refazer novos replantios. Essas atividades de catação do lixo e replantio vão acontecer uma vez por mês, até dezembro deste ano, com acompanhamentos diários após essa primeira fase, onde se estuda uma barreira para conter o lixo e conservar aquela área até que suas mudas fiquem maiores e mais resistentes.

A iniciativa conta com pessoas interessadas em participar das ações do movimento, o que vem surpreendendo a cada dia, pela quantidade de pessoas que se interessam em ser voluntários.

Atividades do dia 31/09 (Domingo), a partir das 8h:

– Oficina de Desenho, com Lambe-Lambe (crianças), com Gabriela Ahid e Eloisa Saraiva
– Oficina de Jogos Teatrais (adulto), com Graça Soares
– Catação do lixo e replantio das sementes do mangue
– Roda de relato da experiência e alinhamento das ações

Localização:

Comunidade de Mojó
Município de Paço do Lumiar – MA
Encontro no Sítio de Maria Donato – Montanha Russa (Povoado de Mojó)
Contato Assessoria
Celular: (98) 981241511 / 99118-3377
E-mail: artemojo@hotmail.com
Instagram: @ongartemojo

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo