LEGISLATIVO

Na tribuna da Câmara, Fátima Araújo fala sobre assalto em sua residência

Durante o discurso, a vereadora pediu empenho das forças de segurança para a resolução do caso

Na sessão ordinária desta segunda-feira, 19, a vereadora Fátima Araújo (PCdoB) utilizou a tribuna da Câmara Municipal de São Luís para falar que foi vítima de um assalto em sua residência, localizada no bairro João de Deus, ocorrido na tarde do último sábado.

A parlamentar relatou que três criminosos invadiram sua casa e que foi rendida com uma pistola na cabeça por um dos bandidos. Ela disse que o criminoso apertou o gatilho da arma de fogo três vezes, mas a pistola não disparou. A vereadora informou também que no momento do assalto estava com alguns assessores.

Fátima Araújo destacou que o comportamento dos criminosos no momento do roubo foi estranho e que a ação pode ter sido algum tipo de intimidação. “Deu a entender que não era só um assalto. Se fosse mesmo só um assalto eles não tinham colocado uma arma na minha testa e tentado disparar. Eles roubaram alguns cordões de ouro (dos assessores e da vereadora) e três mil reais em dinheiro, mas em cima da mesa tinham seis aparelhos celulares, só que eles não quiseram os celulares, eram aparelhos novos e eles não quiseram levar, isso é muito estranho. A polícia tem que investigar”, disse.

Ainda em seu discurso, a parlamentar informou que há cerca de 15 dias começaram a aparecer desenhos de uma arma de fogo sobre o seu rosto, nos cartazes de campanha eleitoral dos seus aliados políticos.

“Está acontecendo algo muito estranho na comunidade. Começaram a desenhar um revólver em cima dos meus cartazes, em cima da minha cara. Começaram a arrancar todos os cartazes dos nossos candidatos, de madrugada, e colaram de outro candidato. A polícia precisa investigar o que está acontecendo. Primeiro começam a desenhar uma arma em cima da minha foto, onde estou com os meus candidatos a deputado federal e estadual, depois começam a arrancar os cartazes de madrugada e por fim acontece algo dessa forma violenta”, finalizou Fátima Araújo.

SOLIDARIEDADE

O vereador Beto Castro, que pediu licença mais uma vez, usou a tribuna para anunciar seu afastamento e  também aproveitou para se solidarizar com a vereadora Fátima Araújo (PCdoB) que teve a residência assaltada com arma apontada para sua cabeça. “Muitas das vezes são pessoas da própria localidade que não tem consideração com a sua luta diária pela comunidade”, frisou o parlamentar do Avante.

Por Leandro Ferreira

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido!!!