ARTIGO

Onde estão os testes para Covid-19, Flávio Dino?

Os maranhenses reclamam do péssimo atendimento nas UPA's e a falta de testes para detectar a civid-19

Tenho acompanhado nas redes sociais uma gama de reclamações quanto à falta de Equipamentos de Proteção Individual para profissionais de saúde que estão na linha de frente, o atendimento péssimo nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAS’s) e a falta dos famosos testes para detectar se o paciente está ou não com o novo coronavírus. A reclamação é geral, e muitos colocam como um erro de planejamento e que é a causa maior de hospitais lotados e muitas mortes pela falta desses testes.

Como na rede social nada é 100% verídico, vejo que existem algumas publicações sobre os milhares de testes que o governo do Maranhão já havia recebido do governo federal. Fiz uma breve pesquisa e não encontrei nenhuma nota da Secretaria Estadual de Saúde desmentindo ou afirmando essa informação. Fiquei pensando: é verdade ou mentira? Se tem os teste, qual o motivo que leva o secretário Carlos Lula não liberar para fazer testes em massa? Se não chegaram os testes, qual o motivo que levou o governo do Maranhão não desmentir o fato? Fiquei com uma dúvida muito grande e ao mesmo tempo gostaria que alguém do governo do estado se manifestasse sobre isso.

Nos últimos 30 dias já perdi dezenas de amigos para essa doença. Dos mais humildes aos que eram famosos e ricos. Tenho visto o governador Flávio Dino dando entrevistas coletivas todo dia, mas nenhum profissional da saúde, responsável pela secretaria de saúde do estado aparece para falar tecnicamente, apenas o governador fala, fala e pouco diz. Isso acaba fazendo com que o povo não respeite seus decretos e fique desconfiado de suas ações. Principalmente após politizarem a covid-19, procurando os culpados.

Inúmeros decretos foram publicados, lockdown já funciona há 10 dias, rodízio de veículos já foi implantado, mas não vejo um profissional de saúde dar uma entrevista técnica, já que o secretário de saúde do estado é um advogado e nesta pandemia se tornou um porta voz confuso. Um verdadeiro papagaio ensaiado. O que não é bom para o maranhense, que dorme e acorda sem uma expectativa de futuro promissor.

Tive relatos de amigos da comunicação, que foram buscar tratamento na UPA da Cidade Operária e lá encontraram uma unidade de saúde lotada, com poucos profissionais trabalhando, muita reclamação de pacientes e profissionais da saúde e nenhuma medida de combate a proliferação do novo coronavírus no Maranhão. Assisto as entrevistas de Flávio Dino, que nos últimos 30 dias tem sido o produto mais propagado na TV Mirante, emissora que foi apelidada pelo governador do Maranhão de Sistema Mentira de Comunicação. Por alguns segundos acho que estou no melhor lugar do mundo, mas tudo não passa de um sonho. Basta acabar a entrevista e ligar o rádio ou acessar os portais de notícias para eu perceber que o Maranhão é um estado devastado, sem planejamento na saúde pública e que tudo não passa de uma peça publicitária já visando 2022.

Os boletins divulgados mostram que o o novo coronavírus ataca a cada dia mais pessoas, mais pacientes morrem e os testes que segundo médicos renomados, seriam uma válvula de escape para tentar diminuir a procura por leitos e aumentar o número de pessoas em casa, já que isso seria uma medida para que o estado volte a funcionar como era antes, não aparecem, o governo federal diz que mandou mais de 100 mil testes.

Vejo uma briga nas redes sociais entre Flávio Dino e Bolsonaro, com uma torcida de cada lado. Não vejo o povo ser lembrado no momento da briga, muito pelo contrário, quem está no centro da confusão é justamente a cadeira presidencial, o poder, o egoísmo e falta de respeito com quem mais precisa neste momento de pandemia e que paga seus impostos mensalmente. De um lado Bolsonaro que prescreve cloroquina e do outro lado Flávio Dino que nunca construiu uma UBS sequer em mais de 5 anos de governo.

As poucas obras inauguradas por Flávio Dino foram deixadas com 95% construídas por Roseana Sarney, muitas já fechadas como foram o caso de hospitais no interior do Maranhão, que hoje fazem falta nesta pandemia maldita.

O certo é que o povo continua sofrendo em portas de hospitais na fila por um leito, os profissionais trabalhando sem equipamentos e muita gente morrendo, já que chegam aos hospitais debilitados, e quando recebem o resultado do tão esperado teste, muitos já foram sepultados. Para se ter uma ideia, em apenas 24h, quase 700 casos de covid-19 foram confirmados no Maranhão, o que já se aproxima dos 10 mil infectados.

Enquanto isso, as brigas nas redes sociais continuam acontecendo e as mortes por Covid-19 também. É um louco no Palácio do Planalto e um arrogante no Palácio dos Leões.

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo