ALCÂNTARA

Alcântara-MA: Guterres Filho tira requerimento de pauta que solicita CPI

O requerimento assinado por vários vereadores pode complicar a vida do presidente da Câmara e de seus assessores

O presidente da Câmara Municipal de Alcântara, vereador Guterres Filho (AVANTE), aos poucos vê seu projeto político se desmoronando, como um castelo de areia. As inúmeras acusações feitas pelos colegas parlamentares podem complicar a curta carreira política, do jovem vereadora, que iniciou em 2016.

Protocolado desde a última terça-feira (17), dentro do prazo regimental, um requerimento foi assinado pelos vereadores Nilson Pereira (PL), Lazico (PDT), Marivaldo Campos (PROS) e Joedes Luis (PROS), solicitando aprovação para a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para investigar possíveis irregularidades cometidas por Guterres Filho, à frente da presidência da Câmara. O requerimento deveria entrar em pauta na última quinta-feira (19), mas acabou sendo arquivado.

Segundo vereadores, Guterres Filho teria determinado à secretária da Casa Legislativa, a não colocação na ordem do dia. A atitude de Guterres Filho revoltou os parlamentares, que esvaziaram o plenário, o que ocasionou a não realização da Sessão Ordinária, por falta quórum. O requerimento tem por objetivo investigar possíveis irregularidades em contratos licitatórios e no pagamento de diárias ao próprio presidente e a seus assessores, justamente em dias de sessão.

Após Guterres Filho mostrar que não respeita o Regimento Interno da Câmara, o vereador Joedes Luís se dirigiu até a Promotoria de Justiça para denunciar a transgressão, mas foi informado por colegas que a secretária foi convencida a pautar o requerimento. Veja abaixo o requerimento.

O requerimento, do qual Guterres tenta se desviar a todo custo, tem por objetivo investigar denúncias já apresentas pelo vereador Joedes Luís, sobre o pagamento de diárias não justificadas que ultrapassam o valor de R$ 13 mil no ano passado, além de contratos licitatórios com indícios de fraudes. Guterres chegou a ser afastado do posto, mas voltou através de uma liminar judicial.

Por Ruy Alberto

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido!!!