BABADO DA SEMANA

Palácio dos Leões: O prato é Camarão e a sobremesa é Brandão

Felipe Camarão atropela Brandão ao se lançar pré-candidato ao governo para 2022

A ida de Felipe Camarão para o PT tem uma carta na manga. Provável candidato a deputado federal, o atual secretário de Educação do governo Flávio Dino, não consegue dar um passo sem autorização do chefe. Ele mesmo já deixou claro que é um soldado e está a serviço da corporação e faz o que o comandante manda.

Bastou entrar outubro, e principalmente após resultado de duas pesquisas, onde Weverton lidera a corrida para o palácio dos Leões, sem Roseana Sarney, para Camarão se lançar, oficialmente, pré-candidato ao Governo do Maranhão pelo PT.

Atual secretário de Estado de Educação (Seduc), afirma que vem para competir e está à disposição do que a legenda orientar. “Quando me filiei ao partido, tomei a decisão de me predispor a ser candidato, à época, para deputado federal. Porém, a política é muito dinâmica e hoje, me coloco à disposição do partido para disputar a vaga de pré-candidato ao Governo do Estado”, frisou o professor. Até o momento, um dos nomes do governador Flávio Dino para sucessão é Carlos Brandão, atual vice desde 2015.

Camarão disse, e frisou, que seguirá as decisões do partido e o time liderado pelo governador Flávio Dino, ressaltando os importantes nomes que compõem o quadro de pré-candidatos. “Me coloco para a decisão do partido, com muita clareza, nesta disputa legítima, democrática. Se esta for a decisão da militância estadual, do partido”, ressalta.

Apesar do discurso apaziguador e democrático, Felipe Camarão deixa evidente que o nome do pré-candidato ao Governo, deve sair do PT, ao qual é filiado e que, em sua avaliação, possui todas as condições da indicação majoritária. “Temos nomes importantes no grupo político do governador Flávio Dino, mas acho que o PT tem condições de encabeçar a chapa e é um sentimento compartilhado por boa parte da base. E, nesse cenário, me disponho ao partido”, enfatiza.

O que Camarão não pesa na balança é que, primeiro, o PT está inclinado a apoiar o senador Weverton Rocha, nessa caminhada ao Palácio dos Leões em 2022. Inclusive, o ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, esteve reunido com o senador Weverton, esta semana, e praticamente chancelou seu apoio ao senador.

E outra, ao falar e repetir, exaustivamente, que segue e está à disposição do partido e mais, do grupo de Flávio Dino, do qual é integrante, Camarão se contradiz por tentar ser protagonista e esquecer o direcionamento de quem lhe comanda. E Carlos Brandão, cada vez mais apagado, tende a se tornar ainda menos possível, com o protagonismo de Camarão.

O certo mesmo é que no Palácio dos Leões, o prato principal passa a ser Camarão com sobremesa de Brandão.

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo