NOTÍCIAS

Pesquisador que se dedicou a escrever a história de São José de Ribamar lança livro

Antônio José Ferreira Miranda, tem 69 anos, nasceu em São José de Ribamar e ama a cidade como poucos

De boné na cabeça, camiseta listrada, com as marcas do tempo em seu rosto, ele cumpre sua missão: contar histórias. A história da cidade, que para ele é um paraíso. Com olhos de emoção, cada momento está gravado na memória como uma foto.

“A idade não deve ser um fantasma e sim uma fonte de maior segurança e tranquilidade pela vivência adquirida. Se me perguntarem se tenho 15 anos, eu vou responder que sim. Se me perguntarem se tenho 20, responderei que sim. Assim como, se me perguntam se tenho 50 ou 60 anos, direi que sim. Digo que tenho essas idades, porque para chegar aonde estou, tive que passar por todas elas”, destacou Antônio Miranda.

Antônio José Ferreira Miranda, tem 69 anos, nasceu em São José de Ribamar e ama a cidade como poucos. Ele guarda na memória momentos que marcaram sua infância e fatos históricos da cidade. Filho de Benevenuto Procópio da Silva Miranda e Raimunda Eva Ferreira Cantanhede Miranda, ele dedicou sua vida à pesquisar a história de São José de Ribamar.

“No tempo da minha infância, era normal as crianças se sentarem para ouvir os mais velhos contanto histórias. Foi aí que descobri que vários bairros de nossa cidade surgiram por meio de lendas. Como a lenda dos bairros Sítio do Apicum com São Benedito, da Campina, Poço da Saúde e outros”, argumentou.

Antônio morou na Cidade Balneária até os 17 anos, quando mudou para São Luís para estudar. Entrou para Marinha, por causa do incentivo do seu irmão José de Ribamar da Silva Miranda.

“Fiz todas a provas, elas foram enviadas para o Rio de Janeiro. Com dois meses, veio o resultado que eu tinha passado nos exames. Fui para escola de Aprendiz de Marinheiro em Fortaleza, onde fiquei até me formar. Embarquei para o Rio de Janeiro, comecei a ter contato com os navios e aprender, de fato, a vida marinha”, relatou.

Miranda passou 23 anos servindo a Marinha e teve a oportunidade de visitar 12 países. Com 40 anos, deixou a vida de marinheiro devido a problemas de saúde relacionados ao coração. Passou por uma cirurgia e voltou para São José de Ribamar.

“Voltei para casa! Fiquei olhando para uma parede, para outra e não tinha nada para fazer. Foi nesse tempo, que despertou o interesse de escrever a história de minha cidade, porque ouvia as pessoas perguntarem sobre a história de Ribamar e não tinha quem informasse. A partir daí, comecei a pesquisar sobre o município nos livros História Eclesiásticas do Maranhão e o Dicionário Geográfico e Histórico do Maranhão. Essas obras foram a que eu mais encontrei registro sobre a história de nossa cidade”, frisou.

Em 1984, Antônio Miranda começou a buscar pela história ribamarense na Biblioteca Benedito Leite, Arquivo Público, Academia Maranhense de Letras e Igreja do Carmo. A pesquisa foi baseada em livros, revistas e jornais da época.

“No ano de 1985, eu comecei a fazer os desenhos e ilustrações. Todas as imagens foram feitas à mão. Isso representa algo muito importante para o benefício da cidade. O meu desejo é que isso fique como registro permanente no município. Muitas coisas foram perdidas de nossa história. É uma satisfação poder contar a história de nossa cidade,” ressaltou.

Além de pesquisar, Miranda tem uma fascinação pela arte. Trabalha com desenho, pintura, constrói maquetes, obras em cerâmica e barcos em miniatura, sem contar na coleção de filmes que relembram a memória do Cine Ribamar, o cinema que existia na cidade.

“A arte é um passatempo que me faz esquecer dos meus problemas. Quando eu me concentro, esqueço problemas de saúde, estresse do dia a dia, esqueço de tudo que me faz mal. É uma terapia que me faz viver melhor”, contou.

Uma das principais obras de arte de Antônio é a réplica do Titanic, que foi feita em 2009, como homenagem ao centenário do naufrágio do navio. A maquete foi feita à mão e passou mais de um ano para ser concluída. Ele também construiu a caravela da lenda da fundação da Cidade Balneária.

“Depois que fiz o Titanic, adquiri vários itens que contavam a história do navio como filmes, cartazes, fotos, documentos e outras coisas. Fiz uma exposição sobre a história do navio e reuni 6.713 assinaturas de visitantes. Foi uma das maiores exposições que aconteceram em São José de Ribamar”, explicou.

Apaixonado por São José de Ribamar, Antônio Miranda reuniu toda sua pesquisa e criou o livro Tradições, Lendas e História de São José de Ribamar. A obra será lançada no dia 16 de dezembro de 2021. O livro contém fatos que contam desde a fundação da cidade, surgimentos dos bairros e outras curiosidades relacionadas à Cidade Balneária.

“Essa cidade representa o mundo! Por isso, fiz meu trabalho todo dedicado a São José de Ribamar. Não tenho palavras para expressar. Quando eu olho para Baía de São José, vejo um paraíso único e inigualável. Peço a todos que não deixem a história de nossa cidade acabar com o passar do tempo. Nós já perdemos muito e, por isso, devemos cultivar nossas raízes” finalizou.

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido!!!