PERI-MIRIM

Prefeito de Peri-Mirim é preso por desacato

A prisão de Geraldo Amorim aconteceu na madrugada desta terça-feira (22) após desacatar a polícia

Foi detido desde as 4h da madrugada desta terça-feira (22) na Delegacia Regional de Pinheiro, o prefeito de Peri-Mirim Geraldo Amorim. O Gestor municipal prestou depoimento, onde foi lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e foi liberado ainda pouco por volta das 7h da manhã.

Segundo policiais que estavam na Delegacia Regional, confirmaram que a prisão do prefeito ocorreu por desacato às autoridades policiais, que pediram a paralisação da festa no horário determinado. O prefeito Geraldo Amorim teria dito que não iria paralisar a festa e que a festa continuaria. Com aquele seu jeito Nicolás Maduro, Geraldo achou que intimidaria os policiais.

Uma discussão se formou entre o prefeito Geraldo, auxiliares e os policiais que deram voz de prisão ao Prefeito que foi levado para a Regional de Pinheiro e apresentado no plantão policial da Delegacia sem lesões corporais, segundo confirmaram os policiais.

CONFIRA ABAIXO O BOLETIM DE OCORRÊNCIA NA ÍNTEGRA

Ontem, 21/01/19, ocorreu o último dia do Festejo de São Sebastião, na cidade de Peri-Mirim. Por volta das 03h, o tenente da polícia militar que estava comandando a guarnição solicitou que o show musical fosse encerrado, conforme previamente acordado, mas o secretário de cultura do município solicitou uma tolerância de 30 minutos. O comandante da guarnição aceitou a solicitação e, por volta das 03h30, pediu novamente o encerramento do evento. Inconformado com a situação, o prefeito do município tentou subir no palco, a fim de se dirigir aos populares, utilizando o microfone do evento, mas foi impedido, por precaução, pelo tenente, o qual temia que o prefeito incitasse a população contra os policiais. Diante disso, o prefeito teria dito que a autoridade máxima do município era ele e o tenente não era “porra nenhuma”, razão pela qual recebeu voz de prisão e foi conduzido para a Delegacia Regional de Pinheiro, onde o Delegado Regional lavrou um termo circunstanciado de ocorrência, em razão do cometimento do crime de desacato. O prefeito prestou declarações e foi liberado, após assinar um termo de compromisso de comparecimento ao TJ/MA, quando for regularmente intimado.

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close