EDUCAÇÃO

Prefeitura de Ribamar deixa escolas e creches comunitárias sem repasses há 5 meses

Professores das instituições educacionais estão à míngua sem ver a cor do salário há meses

A gestão do prefeito de São José de Ribamar na internet parece ser bem melhor, que a realidade na cidade balneária. O virtual supera a realidade, mas os ribamarenses vivem e convivem o real. A educação pede socorro, na infraestrutura, milhões são gastos, mas os operários não recebem salários. A propaganda mostra uma coisa, mas a realidade é bem diferente do virtual.

A saúde ribamarense até que tem recebido verbas federais, mas a gestão não aplica conforme conforme regras do Ministério da Saúde. Os repasses são para Hospital de Alta complexidade, mas o município de Ribamar dispões apenas de um centro de Saúde de Baixa Complexidade. A maioria dos casos são transferidos para hospitais de São Luís. O dinheiro fica em Ribamar.

Na educação, dirigentes de escolas comunitárias de São José de Ribamar fizeram um apelo ao prefeito Júlio Matos, à Secretaria Municipal de Educação, aos 21 vereadores e à Comissão de Educação da Câmara Municipal para que valorizem as escolas e creches comunitárias ribamarenses, que passam por dificuldades por falta de repasses da Prefeitura.

Eles acusam a atual gestão de abandonar as unidades de ensino, que prestam um serviço relevante ao absorver parte da demanda de estudantes não atendidos pelas escolas que integram a rede municipal de ensino de São José de Ribamar.

De acordo com a denúncia, as escolas e creches comunitárias de São José de Ribamar estão à míngua por falta de repasse legal que deveria ser feito pela prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Educação. Sem o recurso, que não é repassado há quase cinco meses, os estabelecimentos estão sem a mínima condição de funcionar.
Centenas de professores que atuam nas escolas e creches comunitárias ribamarenses estão sem receber salários, o que compromete gravemente a sobrevivência e a dignidade das suas respectivas famílias. “Só queria relembrar à secretária e ao prefeito que tem centenas de pais e mães de família há quase cinco meses sem receber os seus salários das escolas filantrópicas.. Será que é justo fazer isso com essas pessoas?”, diz um trecho de um manifesto compartilhado em grupo de mensagens para alertar a sociedade sobre a situação crítica.

Em outro trecho, os dirigentes escolares reclamam do descaso da administração municipal para com o problema gerado pela própria Prefeitura de São José de Ribamar na educação. “Será que nossos gestores não têm um pingo de consciência e não se colocam no lugar dessas pessoas?”, questionam.

Por fim, condenam a negação do direto dos trabalhadores de receber seus vencimentos. “Parece que em São José de Ribamar, o trabalhador tem que ser tratado como escravo”, lamentam os educadores.
Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido!!!