POLÍTICA

Ricardo Cappeli: O ácido muriático do governo Brandão

A presença do secretário de comunicação corrói aliados e adversários

A vida do jornalista carioca Ricardo Cappelli, secretário de comunicação do governo Carlos Brandão (PSB), não tem sido fácil nos últimos dias, principalmente após o deputado Yglésio Moysés expor na tribuna da Assembleia, que Cappelli estaria atrapalhando o governo, com suas ideias maléficas e destruidoras dentro e fora do Palácio dos Leões.

Após o pronunciamento de Yglésio, Ricardo Cappeli foi batizado por palacianos e passou a ser chamado de “Ácido Muriático” nos corredores do Palácio dos Leões. Segundo aliados de Brandão, Cappelli é tóxico, e tem usado o poder químico para tentar destruir aliados e opositores de Carlos Brandão e Flávio Dino.

Assim como o “Ácido Muriático”, Ricardo Capelli é extremamente irritante, podendo causar irritação e destruição das bases construídas por Flávio Dino. Com os mesmos efeito do Ácido Muriático, Cappelli polui o solo com sua presença, elevando a acidez de grupos.

Nas redes sociais, o deputado Yglésio Moysés voltou a fazer duras críticas ao secretário de Comunicação de Carlos Brandão. “Melhor investimento hoje do governo Brandão seria colocar o “marcha soldado” num avião com passagem só de ida e uma sinecura tipo a que ele tinha em Brasília, na SRI. Como diz o bom maranhense: Vai-te embora, rapaz! Teu lugar não é aqui!”, descreveu o deputado no twitter.

Segundo fontes do G7 bem posicionadas na Praça Dom Pedro II, Carlos Brandão tem receio de exonerar Ricardo Cappelli, já que o carioca pode se tornar um adversário perigoso e começar a soltar informações sigilosas à imprensa aliada a ele.

As críticas de Yglésio a Ricardo Cappelli, estariam fazendo Carlos Brandão repensar a manutenção do carioca no governo e rebaixando-o para uma função dentro da rádio Timbira, até pelo menos passar o período eleitoral, evitando dor de cabeça para os marketeiros da campanha.

“Tá na hora de agregar aliados e eliminar esse pessoal oligofrênico que faz política de DCE aqui. O @wevertonrocha saiu do grupo de apoio ao Flávio Dino. Foi coerente, pois estava apanhando todo dia do “Pitbull Albino das Laranjeiras”, que também já bateu no Josimar, que é potencial apoio importante pro Brandão.Tem algo estranho: queremos alianças, mas quem era pra comunicar e ser uma ponte boa de diálogo “tem mais o que fazer”. Tem mesmo, passar o dia todo sendo chato, brigando no Twitter, chamando os outros pra marchar”, escreveu Yglésio, se referindo ao Ácido Muriático carioca.

Ricardo Cappelli acabou se acostumando com as práticas de perseguições implantadas por ele a jornalistas e radialistas com aval do agora ex-governador Flávio Dino, que nunca deu um pio sobre os casos, muitos repercutidos aqui no G7. Agora Cappelli quer fazer o mesmo, incluíndo comunicadores e políticos, mesmo sendo da base aliada a Carlos Brandão.

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido!!!