TRANSPORTE

SET pode estar envolvido em escândalo de R$ 10 milhões com sobra de cartão de passageiros

Sobra de créditos vencidos de usuários de ônibus coletivos vira negócio lucrativo para empresas de ônibus de São Luís

Há anos que trabalhadores e estudantes são literalmente lesados pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros São Luís (SET) e ninguém toma um atitude. Na capital maranhense trabalhadores e estudantes compram créditos para passagem em transporte coletivo, e o SET, responsável pela venda dos créditos, fica com a sobra todos os anos, e até hoje ninguém sabe quem fica com esse dinheiro. A única coisa que sabemos é que os passageiros pagam por um transporte precário e ainda são lesados na caruda, um crime contra o trabalhador e a justiça não se manifesta para tentar cobrar e devolver aos verdadeiros donos.

Segundo publicou o blogueiro Filipe Mota, os créditos comprados para recarregar cartões de vale transporte e que vencem em um ano, vão para a conta do SET (Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de São Luís), entidade que representa as 13 empresas que operam na capital maranhense, através dos 04 consórcios, que integram o sistema de transporte público da Ilha.

Como todo passageiro que usa cartão de passagem, seja ele trabalhador ou estudante, o crédito não volta para o bolso do usuário, nem para quem compra as passagens diretamente, nem para quem dispensa 6% do seu salário para adquiri-las por meio de seus empregadores. Pelo visto a máfia está instalada dentro do SET e precisa ser descoberta e punida.

Documentos e planilhas aos quais o blogueiro Filipe Mota obteve com exclusividade e que também foram confirmados pelo Portal G7 , mostram que o total de créditos expirados no período passam dos R$ 10 milhões, levando em conta apenas os dados relacionados a partir de 2016, ano em que foi realizada a licitação do transporte público pelo ex-prefeito Edivaldo Holanda Júnior.

A Dataprom, empresa que administra o SBE (Sistema de Bilhetagem Eletrônica) não informa os valores expirados dos créditos de vales-transportes. Para abrir a “caixa-preta” da bilhetagem, os vereadores Antônio Marcos – o Marquinhos (DEM) e Álvaro Pires (PMN), demonstraram interesse em colher assinaturas para criar uma CPI –Comissão Parlamentar de Inquérito, no âmbito da Câmara Municipal de São Luís.

De acordo com as informações, o total da frota operante é de 912 ônibus para atender pouco mais de 177 linhas que compõem o Sistema de Transporte Coletivo de São Luís. Esses coletivos fazem 6.432 viagens por dia útil atendendo a uma demanda média de 700 mil passageiros por dia útil.

Para se ter uma ideia, as operadoras do sistema faturam nestas linhas quase R$ 5 milhões por mês. Os créditos expirados equivaleriam a pouco mais de 3% deste montante. Do total de R$ 10 milhões das verbas ‘flutuantes’ – como são chamadas essas sobras – cada uma das empresas, recebe o equivalente a pouco mais de R$ 700 mil com a divisão do dinheiro dos passageiros.

Apesar de serem beneficiadas enquanto associadas do SET, não estão incluídas nessa conta os repasses às viações que atuam em municípios da Região Metropolitana. No entanto, esse é um assunto para a próxima matéria. Aguardem!

Por Dalvana Mendes e Filipe Mota

Mostre mais

Artigos Relacionados

Um Comentário

  1. Enfim uma manifestação sobre o assalto a que usuários do sistema público de transporte, são submetidos… ficarei no aguardo de novas informações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo