CULTURA

Adeptos e simpatizantes das religiões de matriz africana se reúnem para homenagear os 410 anos da fundação de São Luís

Multidão lota a praça Pedro II e o largo do Desterro para também festejar São Luís Rei de França e Nossa Senhora da Vitoria

A Procissão dos Orixás é realizada há mais de cinco décadas pela Fucabma com o apoio da Prefeitura de São Luís, via emenda parlamentar do vereador Astro de Ogum.

Já passava das 19: 30h desta quinta-feira(08), quando os andores com as imagens de Dão Luís Rei de França, Nossa Senhora da Conceição, São Sebastião e Santa Bárbara adentraram na Igreja do Desterro, no centro da capital maranhense, concluindo o percurso de mais uma edição da tradicional Procissão dos Orixás.

O evento, que além de comemorar a fundação da capital maranhense, que ontem completou 410 anos, objetiva render homenagens a São Luís Rei de França, santo que inspira o rei que deu nome à Ilha do amor, e, ainda, Nossa Senhora da Vitória, padroeira da cidade.

Realizada pela Federação de Umbanda e Cultos Afro Brasileiro do Maranhão – Fucabma, sob a batuta de Biné Gomes em conjunto com a Associação do Maracanã, a procissão também conta com o apoio da Prefeitura de São Luís, por meio da emenda parlamentar direcionada pelo vereador Astro de Ogum(PCdoB), decano no Parlamento Ludovicense, que também é pai de santo.

Como de costume, os adeptos, simpatizantes e curiosos deixaram a Praça Pedro II, no final da tarde, tão logo o vereador Astro, patrono de honra da Fucabma chegou ao local. Entoando hinos da religião, adeptos e simpatizantes seguiram percorrendo as ruas do centro histórico com destino a igreja do Desterro, onde finalizou com uma salva de tambor.

Em um rápido discurso, tanto na concentração quanto no Largo do Desterro, o edil ludovicense externou as dificuldades por conta da falta de transporte para conduzir os participantes, agradeceu o apoio do Governador Carlos Brandão e do prefeito Eduardo Braide e, finalizou, lamentando a falta de amor e respeito, que tem ocasionado o aumento significativo de atos violentos por conta da intolerância religiosa.

“Vamos difundir mais o amor. Aqui não vamos debater intolerância, estamos pregando paz, prosperidade e esperança, isso sim são coisas de Deus. Precisamos ter mais respeito pela diversidade religiosa e aceitar a escolha de cada um”, finalizou.

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido!!!