BRASIL

Aliado de Bolsonaro, Roberto Jefferson atira contra agentes da Polícia Federal

A tentativa de homicídio aconteceu após Alexandre de Moraes mandar prendê-lo

O ex-deputado federal e bolsonarista declarado, Roberto Jefferson (PTB) reagiu neste domingo (23) com tiros contra agentes da Polícia Federal que cumpriam uma decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes de prendê-lo em sua casa, em Comendador Levy Gasparian, a cerca de 140 km da cidade do Rio de Janeiro.

A Polícia Federal informou que agentes foram à casa de Jefferson para cumprir a ordem de prisão e o alvo reagiu à abordagem, quando os agentes se preparavam para entrar na residência. Dois policiais, sendo uma mulher, foram atingidos por estilhaços, mas passam bem.

“Durante a diligência, o alvo do mandado reagiu à ordem de prisão anunciada pelos policiais federais. Na ação, dois policiais foram feridos por estilhaços de granada arremessada pelo alvo e levados imediatamente ao pronto-socorro. Após o atendimento médico, ambos foram liberados e passam bem”, diz nota da corporação.

Ainda de acordo com o texto, a equipe da PF no local foi reforçada. A ordem de prisão aponta o descumprimento de medidas cautelares por parte de Jefferson. Na decisão, Moraes pediu prisão, busca e apreensão e proibiu entrevistas.

O ex-deputado, que é aliado do presidente Jair Bolsonaro (PL), gravou vídeos em que confirma ter reagido à prisão contra agentes da PF, em sua casa, em Levy Gasparian, no Rio de Janeiro.

“Chega de opressão, eles já me humilharam muito, a minha família. Mas eu não estou atirando em cima deles. Eu dei perto, eu não atirei neles. Eu não atirei em ninguém para pegar. Atirei no carro e perto deles. Eram quatro, eles correram, e eu falei: ‘sai porque eu vou pegar vocês’. Isso que vocês têm que saber. Eles vão vir forte e eu não vou me entregar. Chega. É muita humilhação”, disse Jefferson em um dos vídeos.

Informações preliminares dentro da PF indicavam que a policial fora alvejada de raspão na cabeça e na perna, porém isso não foi confirmado oficialmente. Também circula na corporação a informação de que o ex-deputado teria lançado artefatos explosivos (possivelmente granadas) contra os agentes.

No Twitter, Bolsonaro afirmou ainda que enviou o ministro da Justiça, Anderson Torres, para o Rio de Janeiro, onde Jefferson mora, para acompanhar a situação, classificada pelo chefe do Executivo como “lamentável episódio”.

Bolsonaro só se manifestou sobre as agressões de seu aliado Roberto Jefferson à ministra Cármen Lúcia, após o episódio contra os policiais federais, quase 48h após seu aliado gravar vídeo com agressões verbais contra a ministra do STF. Veja a data do twitter.

Por UOL

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo