NOTÍCIAS

Câmara de São Luís aprova LOA 2022 e vota contra reajuste dos servidores

Dos 31 parlamentares, apenas 12 votaram a favor dos trabalhadores da prefeitura

A Câmara Municipal de São Luís, que aprovou na manhã desta quarta-feira (29), durante a última sessão plenária do ano, o Projeto de Lei nº 274/21 que versa sobre a Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2022, com previsão de receita da ordem de R$ 3,6 bilhões, já não é considerada a Casa do Povo. Mais de 90% dos vereadores votaram contra o reajuste dos servidores municipais. Mais uma vez a Câmara contra com quem realmente trabalha.

Durante a sessão, foi apresentado um total de 57 emendas, destas sete foram rejeitadas pela Comissão de Orçamento, Finanças, Planejamento e Patrimônio Municipal (COFPPAM), mas somente uma, de autoria do vereador Jhonatan Soares – do Coletivo Nós (PT), teve pedido de destaque em votação e acabou sendo aprovada.

A proposta trata sobre a transferência de recursos da Secretaria Municipal de Comunicação (Secom) à Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas) visando alocar recursos para garantir reajuste salarial dos conselheiros tutelares. Só que os vereadores que votaram contra o reajuste dos demais servidores, esqueceram que servidor público também vota.

Aproximadamente 18 vereadores votaram contra uma emenda de autoria do vereador Antônio Marcos Silva – o Marquinhos (DEM) que visava garantir na peça orçamentaria um reajuste de 7,4% no salário dos servidores municipais. De todas as emendas apresentadas, somente 47 foram aprovadas.

Falsa expectativa?

Ao votar pela rejeição da emenda que tentava garantir reajuste salarial aos servidores municipais, o vereador Dr. Gutemberg Araújo (PSC), esqueceu que existem médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, e tantos outros profissionais que falsamente são defendidos pelo médico vereador.

“O plenário desta Casa é soberano, mas eu não posso aprovar uma proposta que visa criar uma falsa expectativa nos servidores. Todas as questões que tratam de orçamento são privativas do Executivo”, frisou Gutemberg.

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido!!!