POLÍTICA

Empresário preso na Lava Jato deve fornecer 500 mil cestas básicas ao governo Brandão

A cada dia o maranhense vai descobrindo que Flávio Dino foi apenas uma jogada política e não deu certo

O Maranhão de milhares de pobres, pessoas abaixo da linha da pobreza, passando fome, que vivem apenas de esmolas por parte dos governos do Estado e Federal, gasta dinheiro do povo comparando cestas básicas, como único investimento à população. Em pleno período eleitoral, Carlos Brandão, sem projeto para os maranhenses, tenta fisgar os já cansados trabalhadores pelo estômago.

Segundo publicou o site Marrapá, o governador do Maranhão, Carlos Brandão (PSB), pretende gastar R$38 milhões de reais com a compra de 500 mil cestas básicas de uma empresa do Rio de Janeiro. O mais grave de tudo isso é que o empresário, já foi alvo da Lava-Jato e inclusive, foi preso.

Em processo homologado no último dia 15 de julho, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedes), pasta que está servindo como trampolim para campanha eleitoral descarada, oficializou a contratação da Ágile Corp Serviços para o fornecimento das cestas básicas a pouco mais de dois meses do primeiro turno das eleições 2022.

A sede da empresa Ágile Corp Serviços, fica localizada na Chácara Rio-Petrópolis, Estrada de São Lourenço, município de Duque de Caxias-RJ, na Baixada Fluminense. Além do administrador José Mantuano de Luca Filho, a empresa ainda tem dois sócios: a GRA PARTICIPAÇÕES E SERVIÇOS EIRELI – também de propriedade de José Mantuano de Luca Filho, tem sede na Estrada Velha de Pilar, bairro Figueira, no município de Duque de Caxias-RJ, e SEPASA SERVIÇOS E PARTICIPAÇÕES S/A – localizada na Rua Visconde de Inhaúma, bairro Centro, Rio de Janeiro e tem como proprietário, José Mantuano de Luca Filho. Já a filial, fica localizada na avenida Engenheiro Emiliano Macieira, na BR-135, bairro Tibiri, em São Luís-MA.

A empresa pertence a José Mantuano Filho, velho conhecido do Ministério Público Federal, que já foi preso durante a Operação Lava Jato, acusado pela prática de “variadas formas de fraude em licitações e nas dispensas destas”. Mesmo assim, a idoneidade do empresário e da empresa, pouco importa para o governo Carlos Brandão, desesperado, tenta a qualquer custo ficar mais próximo das famílias carentes, com cestas básicas mequetrefes.

Mantuano também foi apontado como chefe de cartel de alimentos que faturou cerca de R$ 8 bilhões com os governos de Sérgio Cabral e Fernando Pezão no Rio de Janeiro.

Durante a pandemia, o governo de Flávio Dino e Carlos Brandão adquiriu, por dispensa de licitação, R$ 20.840.000,00 (vinte milhões, oitocentos e quarenta e oito mil reais) em gêneros alimentícios no Grupo Mateus,do empresário Ilson Mateus.

Chama atenção o fato de cada cesta comprada pelo Governo do Maranhão da empresa carioca custar de R$ 76,00. No armazém do bilionário maranhense, Ilson Mateus, onde Flávio Dino tem cadeira cativa, cada uma
custaria – em média – R$ 62,50.

A pergunta que não quer calar é: qual o motivo de comprar cestas básicas de um empresa carioca, com tantos empresários vendedores de gêneros alimentícios no Maranhão? A empresa carioca estaria comprando as tais cestas aqui no Grupo Mateus? Porque o preço de 500 mil cestas é mais caro que comprando a unidade no comercio da esquina?

O Ministério Público do Maranhão e o Tribunal de Contas do Estado precisam acordar para Jesus e buscar uma resposta aos maranhenses.

Por Marrapá

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido!!!